Super- herói gay

O canal americano Showtime está desenvolvendo um projeto de série de uma hora de duração do grande ícone dos quadrinhos Stan Lee, que segue a vida de um super-herói gay.

Segundo a Variety, o projeto tem Lee como produtor executivo e se concentrará em um herói que batalha para esconder suas duas “identidades secretas”, baseado no livro Hero de Perry Moore que também assina o roteiro.

A séria ainda não tem previsão de estréia.

No romance de Moore, Thom Creed é um adolescente que costuma se manter afastado dos outros e é filho de um antigo grande super-herói. A última coisa que ele quer é desapontar seu pai, mas esconde dois segredos: primeiro, ele é gay, e segundo, tem o poder de curar. Ele acaba sendo convidado para integrar uma liga de super-heróis, da qual seu pai um dia foi membro, e por isso precisa fazer de tudo para se manter incógnito.

Fonte: Globo.com



Em agosto do ano passado, o livro Hero, escrito por Perry Moore, angariou grande destaque na mídia. Apesar dos elogios da crítica especializada e do sucesso de público - que nos primeiros dias de lançamento fez a obra entrar na lista dos mais vendidos nos Estados Unidos -, o que chamou a atenção foi menos a qualidade literária e mais o protagonista do enredo.A trama narra as desventuras de Thom Creed, um adolescente que esconde do mundo a sua homossexualidade e o incrível poder de curar ferimentos e doenças. As dificuldades em controlar esse dom e conviver com a descoberta sexual tornam sua vida uma miríade de confusões psicológicas e sentimentais.

Quando o destino o faz cruzar o caminho da Liga, uma equipe de super-heróis que o aceita no grupo, Creed descobre um mundo de romances, aventuras e, como não poderia deixar de ser, muitas batalhas contra o mal.

Destinado ao público jovem, Hero também acumulou desafetos e polêmicas que poderão acompanhá-lo em sua nova empreitada no mundo do entretenimento.Com a ajuda de ninguém menos que Stan Lee, criador do Homem-Aranha e de outros famosos super-heróis dos quadrinhos, o livro de Perry Moore deverá ganhar uma versão para seriado de TV.

Os dois artistas estão em conversas para realizar a idéia que, inicialmente, era a de produzir um longa-metragem para a tela grande. Dois canais de televisão dos Estados Unidos estariam interessados no projeto.

O autor de Hero garante que o seriado não terá um clima camp e será similar a Lost, seja qual for o sentido dessa afirmação.

Lee é um fã confesso da obra de Moore, um roteirista e produtor de cinema (responsável pela série Crônicas de Nárnia) que com esse trabalho estreou como escritor de romances.

Uau! Isso é totalmente original! (…) Uma experiência inesquecível - imperdível!”, escreveu Stan Lee para a quarta capa das reedições do livro.E assim, depois de passar pelo mundo literário, sair incólume a ainda ser aplaudido, o primeiro super-herói gay adolescente - como Thom Creed já é chamado - se prepara para transpor mais um obstáculo que Perry Moore afirma ser o preconceito contra heróis homossexuais.

No artigo Quem se importa com a morte de um super-herói gay?, de autoria do escritor e publicado em seu site, é apresentada uma extensa lista de personagens gays dos quadrinhos que foram descartados, maltratados e, em sua grande maioria, assassinados. O texto inclui tópicos de contagem relacionados ao assunto, mostrando, em um dos trechos, que o mutante Wolverine já matou um homossexual.

“Homossexuais não podem ser heróis”, finaliza o artigo, citando o comentário que um leitor de quadrinhos postou há alguns anos no site do roteirista Peter David.

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas na semana

Oito motivos para ter uma chuca portátil

Levítico 18,22. 20,13

Romanos 1,18-32