O que é a Bíblia?

Um tema complicado, pelo desgaste de razões e argumentos, uns não tão lúcidos, outros demasiados técnicos e, outros ainda, sem a menor noção; seja dos mais radicais fervorosos, ou dos mais céticos e descrentes.

Marco Paulo lendo este blog nos deixou uma pergunta: "Para eu poder entender; quer dizer que a Bíblia é algo que já está obsoleta e incompleta? Esta é a visão de vocês? Respondam-me, por favor."

Certamente, esta é uma questão de ordem prática. É o que rola nos círculos religiosos, contra aqueles que optaram por assumir sua sexualidade de forma autêntica. São taxados de LIBERAIS. Um tabu que a igreja evangélica no Brasil importou dos puritanos norte-americanos e ingleses; tabu esse, que movimentou a Europa e os EUA na chamada 'era dos avivamentos', uma reação contra a escolástica protestante e a filosofia iluminista, bem como uma reação contra o romantismo alemão. Praticamente 3 séculos de debates acalorados sobre o tema, e os 'renovados' e pentecostais ainda vivem à sombra da teologia liberal.

Obviamente, que a teologia liberal não é liberal por dizer: "isso tudo é mentira façam o que quiserem, ajam como lhes convir, carpe diem!" Quem pensa assim comete um erro crasso conceitual. A teologia liberal é ÉTICA e séria quanto à observância da mesma. E certamente, que muitos cristãos hoje não seriam bem-vindos em igrejas que adotam essa postura, pois elas primam por um comportamento digno de um cristão, e não isso que rola por aí, na chamada igreja renovada, neopentecostal.

A vertente do nosso debate, do PROTESTO Gospel LGBT, não passa pela conceituação das Escrituras como sendo a Palavra de Deus, contendo a Palavra de Deus, ou sendo mero livro histórico- epopéico de um povo antigo. Nossa questão superou este debate. Vários são os posicionamentos no nosso meio, bem como são vários os posicionamentos sobre o mesmo em qualquer círculo do cristianismo.

Entretanto se a Bíblia é a palavra de Deus não muda o fato dela não condenar a homossexualidade como querem os fundamentalistas, se ela contém a palavra de Deus, não muda o fato dela não condenar a homossexualidade, ou se ela é um mero livro de histórias e mitos de um povo, não muda o fato dela não condenar a homossexualidade!

A questão é de interpretação das Escrituras. Ou seja, como se chega a ela, ou o que se quer dela! Pois, certamente, se nos debruçarmos em cima de uma passagem em que diz que aqueles que têm defeitos físicos devem permanecer longe do altar do Senhor (Levítico 21,16-20), não daremos a literalidade dessa passagem tal valor exposto. Até mesmo porquê, o simples fato de se usar óculos deixaria o cidadão longe do altar sagrado. Mas, mexem daqui, arrumam, e, de repente, o texto perde a literalidade formal, transformando-se, apenas, em literalidade material, ou seja, era uma lei válida para aquela época, uma lei cerimonial, que imponha formalidades para o funcionamento da sociedade, mas válida só para época, pois Jesus desautorizou no Novo Testamento tais formalidades. O que importa são os adoradores que o adoram em Espírito e em verdade.

Entretanto, quando o tema é a homossexualidade, todo o aspecto formal da lei, ainda vigora, em determinados meios. Como se chega nas Escrituras, e o que se quer delas é a difusão de preconceitos próprios, mas que ela não justifica. Jesus desautorizou as formalidades, e a condenação da homossexualidade, da suposta condenação, pois se ampliarmos o contexto veremos detalhas que derrubam a suposta condenação- ou seja, depende de interpretação e não apenas o texto frio por si só, já na quela época. Mas os fundamentalistas, ignoram o que Jesus fez, e continuam dizendo o que JESUS NÃO DISSE! Daí, apelam para Paulo, o apostolo, e novamente, sem nenhum vínculo semiótico, diacrônico, interpretam na literalidade, fazendo o texto dizer o que ele não diz, totalmente fora do contexto e razões motivadoras.

Se a Bíblia é obsoleta e incompleta, este blog não tem a pretensão de dar um posicionamento sobre isso. Mas, certamente toda a Escritura tem que ser interpretada e julgada à luz de Jesus Cristo, deve ser guardado aquilo que é bom, e ser jogado fora aquilo que não presta! E certamente, o ódio difundido por algumas igrejas e pessoas não fazem parte do que Jesus nos ensinou.

Na Graça e na paz

Renato

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas na semana

Levítico 18,22. 20,13

Oito motivos para ter uma chuca portátil

Namoro Gay