E agora governador?

Antony Garotinho, ex-governador do estado do Rio de Janeiro, é presbiteriano e recebeu amplo apoio da Igreja Presbiteriana do Brasil e de outras denominações evangélicas quando se lançou candidato à presidência da República Federativa do Brasil...

Agora vem o escândalo... O candidato da REFORMA, sola gratia, sola fides, sola scriptura está supostamente envolvido num escândalo de desvio financeiro em milhões de reais, e depois são os gays que não têm caráter, que necessitam de conversão, que vivem em desamor e em aborrecimento de Deus. JESUS FALOU DAS RIQUEZAS, DAS COBIÇAS, DO DINHEIRO, DA GANÂNCIA, MAS NÃO FALOU DOS GAYS! E AGORA EVANGELINAZISTAS É SÓ A GRAÇA? Se nós vamos para o inferno por sermos gays e isso ser sinal de desonra e não de orgulho, de tristeza ao invés de alegria, vocês com toda essa lama, acusados pelo próprio Cristo do EVANGELHO vão para onde? Nem o capeta deve querer vocês no inferno, afinal vocês vão fazer concorrência desleal!

Segue abaixo a recomendação da IGREJA PRESBITERIANA LUZ DO MUNDO à época da candidatura à presidência:

Uma igreja comprometida com o Senhor Jesus e com o Seu evangelho. Historicamente somos filhos da Reforma Protestante do século XVI e Presbiterianos, jurisdicionados à Igreja Presbiteriana do Brasil, presente no país desde 1859.

O nome desta igreja baseia-se nas seguintes palavras de Jesus: Eu sou a luz do mundo, quem me segue não andará nas trevas, pelo contrário terá a luz da vida (João 8.12); e também: Vós sois a luz do mundo... Brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus (Mateus 5.14-16).

Com o auxílio do Espírito Santo, queremos ser, de fato e de verdade, LUZ DO MUNDO, ajudando as pessoas a encontrarem a luz de Cristo. Neste site, você também poderá fazer parte da família Luz do Mundo. Deus o abençoe.


Igreja Luz do Mundo
Rio de Janeiro, 10 de julho de 2002.
Ilmo. Sr. e Sra. Anthony Garotinho.
Rio de Janeiro, RJ.


Caríssimos irmãos em Cristo:

Saudações fraternais.

Temos a alegria de comunicar-lhes que o Conselho da Igreja Presbiteriana Luz do Mundo, reunido no dia 9 de julho, com os integrantes do Grupo de Apoio, trocou idéias e buscou a direção do Senhor sobre maneiras possíveis de manifestar-lhes nosso apreço, amor e apoio nesse momento extremamente desafiador e difícil de sua vida. A presença de vocês em nossa igreja tem sido, primeiramente, uma grande alegria para nós, visto que os amamos como irmãos, amigos e colaboradores. Além disso, e em função de seus cargos públicos, já exercidos, e de suas respectivas candidaturas à Presidência da República e ao Governo do Estado, sentimo-nos também privilegiados e desafiados.

Em vista disso, resolvemos, por unanimidade:

1) Recomendar à igreja que ore com mais freqüência e fervor pelos irmãos, pedindo ao Senhor que os guarde nos caminhos de Cristo, que lhes dê força, coragem e sabedoria na condução de suas respectivas campanhas, e cumpra seus maravilhosos desígnios na vida dos irmãos.

2) Abrir um espaço em nossos cultos matinal e vespertino para os irmãos compartilharem conosco os desafios e lutas que enfrentam no momento, de modo que a igreja possa orar por vocês mais especificamente.

3) Informado de que o pastor efetivo da igreja está escrevendo um depoimento atestando que os irmãos são cristãos comprometidos com o Senhor Jesus, freqüentam regularmente a Igreja Presbiteriana Luz do Mundo, participam do seu ministério de ensino e buscam a direção do Senhor em suas decisões, o Conselho não somente aprovou esta iniciativa, mas também autorizou ao pastor a escrever o referido depoimento em nome da Igreja Luz do Mundo e encaminhá-lo aos senhores para que dele façam o uso que julgarem conveniente.

Por fim, queremos dizer-lhes que, quaisquer que sejam os resultados das eleições, vocês serão sempre nossos queridos e amados irmãos. Que a Igreja Luz do Mundo seja para vocês um oásis espiritual, um ponto de encontro com o Senhor e com a família da fé, um lugar de refrigério, fortalecimento e orientação.
Pelo Conselho, no amor de Cristo, desejando-lhes sucesso,
O pastor e amigo,
Éber M. Lenz César
Presidente do Conselho

DEPOIMENTOS DOS PASTORES DE GAROTINHO

Rev. Éber Magalhães Lenz César, Pastor da Igreja Presbiteriana Luz do Mundo.
Vez por outra, repórteres, pastores e irmãos telefonam para a Igreja Presbiteriana Luz do Mundo para perguntar: “Garotinho é crente mesmo? Ele vai mesmo à igreja todos os domingos? É verdade que ele e Rosinha ensinam numa classe de casais da igreja?” Agora, sendo ele candidato à Presidência da República, e ela ao Governo do Estado do Rio, mais pessoas querem saber... Daí a propriedade deste breve depoimento, que escrevo em meu próprio nome e em nome do Conselho Administrativo da referida igreja.

O irmão Anthony Garotinho converteu-se a Cristo após um grave acidente de carro, em 1994. Rosinha e os filhos do casal converteram-se em 1996. Todos são membros da Igreja Presbiteriana Luz do Mundo e freqüentam a Escola Bíblica Dominical e os cultos. Por um curto período de tempo, residindo em Campos, RJ, eles freqüentaram a Igreja Presbiteriana de Campos.

Nestes últimos anos Garotinho e Rosinha têm ministrado a Palavra de Deus a uma Classe de Casais da Escola Dominical. Para tanto, eles ordenaram aos seus respectivos assessores que não lhes agendassem compromissos nos domingos pela manhã. Mesmo quando chegam de viagem ou de eventos tarde da noite, no sábado, eles vão à igreja no domingo cedo. Nestas últimas semanas, nos domingos à noite, eles têm visitado as igrejas que os convidam para dar seu testemunho ou pregar.

Por mais de dois anos eu e minha esposa dirigimos um Grupo de Estudo Bíblico e Oração no Palácio Laranjeiras, residência funcional da família durante o Governo Garotinho. Essas reuniões foram freqüentadas por membros da Igreja Luz do Mundo e assessores e amigos não evangélicos do casal.

Temos estado com Garotinho e Rosinha em momentos de grandes decisões, orando juntos e buscando a direção do Senhor. Somos testemunhas de seu sincero desejo de fazer a vontade de Deus em tudo, e viver uma vida autenticamente cristã, no lar e no exercício de suas atribuições governamentais.

Sabemos de várias ocasiões em que Garotinho fechou o seu gabinete no Palácio Guanabara ou trancou-se em casa por algumas horas para estar com o Senhor em oração, sem interrupções. Em todas as oportunidades cabíveis, nos jornais, no rádio e na televisão, eles se identificam abertamente como cristãos evangélicos.

Sabemos que a competência político-administrativa dos candidatos à Presidência da República e aos Governos Estaduais é da máxima importância. Todavia, aos cristãos interessa, também, e muito, o temor a Deus, a fé e a integridade, pois “feliz a nação cujo Deus é o Senhor” (Sl 33.12). (Rio de Janeiro, 10/07/2002).

Uma conversão sincera

Rev. Antonio Carlos - Movimento “Rio, um Novo Momento de Vida” (Igreja Presbiteriana da Barra da Tijuca e Igreja Presbiteriana Betânia, de Niterói).

Em dezembro de 1996, tive o grande privilégio de pregar no culto em ação de graças pela vitória do nosso ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, nas eleições para a Prefeitura de Campos. Tratava-se de uma experiência inédita em minha vida. Até então jamais havia expressado gratidão pública a Deus pela vitória de um líder político numa eleição.

Lembro-me de que comecei minha mensagem dizendo que estava ali por um simples motivo: um verdadeiro irmão em Cristo acabara de ser eleito. Hoje, enche-me de gratidão ter dito, naquele momento, algo que dia após dia é confirmado na vida do nosso querido governador.

O que afirmei tinha fundamento. Eu somente fora àquele culto por força de uma relação que havia se iniciado tempos atrás, cujo objetivo era o fortalecimento da fé que o nosso Deus, pelo seu Espírito, implantara em seu coração.

O governador Garotinho havia passado por uma experiência extraordinária com o Senhor Jesus num acidente que evidenciara para ele o quanto a vida humana é vulnerável, frágil e efêmera. Garotinho fora humilhado pelo seu Criador. E num estado de absoluta vulnerabilidade em relação a Deus, ele entregou sua vida ao Senhor Jesus, revendo todos os seus valores e ideologia, passando a crer que sociedade justa, fraterna e igualitária, além de ser inviável sem a transformação do coração dos seres humanos, está longe de ser o que o homem mais anseia, pois num mundo onde a morte nos acena no final, só vivendo com aquele que é a ressurreição e a vida para que tudo tenha significado.

Durante meses, Garotinho e eu nos reuníamos em sua casa no Cosme Velho, bairro da cidade do Rio de Janeiro, para estudarmos a Bíblia e conversarmos sobre a vida cristã. Peguei o melhor discípulo. Deus trabalhara de tal maneira em sua vida que a abertura do seu coração era total. Tudo o que fazia era apresentar a verdade, sem a preocupação de defendê-la, pois sua alma encontrava-se completamente aberta para o conteúdo do evangelho. Falávamos sobre as grandes doutrinas, o viver cristão, a relação do Cristianismo com as ideologias políticas, orávamos e pensávamos no seu futuro político.

Uma de nossas conversas talvez ajude a dar uma idéia do que estava ocorrendo em seu coração. Eu havia falado para ele que, àquela altura, se eu me candidatasse a algum cargo político talvez ganhasse por causa do número crescente de pessoas que estava podendo alcançar através do meu ministério, ao que ele respondeu: “Quem sabe não haverá no futuro uma mudança, você entrando na política e eu me tornando pastor”. Embora bastante enganado quanto ao nosso futuro (a política para mim nunca foi uma tentação pela absoluta certeza de que Deus chamou-me para pregar o evangelho, e ele é um líder político com um futuro brilhante pela frente, com condições de entrar para a história da nossa nação como um governante verdadeiramente apaixonado pelo povo e comprometido com a justiça), o governador Anthony Garotinho revelava o completo encantamento com a verdade de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Vivemos dias em que o conceito de conversão tem sido tão pervertido que vale a pena destacar os frutos que pude ver na vida do nosso governador e que me levaram a crer que estava diante de alguém que nascera de novo. Primeiro, um grande interesse pela verdade, o que o levou a estudar semanalmente a Bíblia comigo e freqüentar os cultos de adoração a Deus que tínhamos no bairro do Flamengo. Segundo, uma identificação desinibida com o Senhor Jesus Cristo, que o levou a testemunhar de Cristo publicamente, assumindo todas as conseqüências políticas e sociais de tal decisão. Terceiro, um prazer crescente de estar com o povo de Deus, o que o levou a cedo procurar os cristãos e freqüentar a igreja. Quarto, uma profunda confiança na providência divina, o que fez com que experimentasse a paz de Deus em seu coração, apesar da derrota na primeira vez que disputou as eleições para o Governo do Estado, crendo que Deus não permitira sua vitória para que tivesse tempo para estudar a Bíblia.

É digno de ser destacado, também, o fato de ele ter estabelecido relação com um pastor pouco conhecido, especialmente quando comparado com outros no cenário nacional, e uma denominação evangélica que está entre as menores do nosso país, o que aponta, no meu modo de ver, para um envolvimento totalmente desinteressado com a igreja evangélica brasileira.

Recordo-me com saudade dos cultos de adoração de que participávamos, chamado “Rio, um Novo Momento de Vida”. Todas as segundas-feiras estudávamos a Bíblia à tarde, lanchávamos e nos dirigíamos para o Flamengo, onde estes cultos eram realizados. Quantas noites de graça divina em que após as mensagens pregadas podia encontrar o Garotinho visivelmente tocado pela verdade bíblica.

Não faltou humor neste período, também. Certa vez, quase parti para a eternidade em sua casa ao me engasgar, num delicioso almoço, com um pedaço de galinha. Se não fosse a misericórdia divina e a ajuda do Garotinho, naquele mesmo dia teria partido para a glória. Tempos depois soube que os que estavam à mesa e que na ocasião manifestaram grande preocupação pela minha vida, quase enfartaram de tanto rir com a cena.

Noutra ocasião, humildemente, o governador Garotinho abria seu coração comigo, falando-me em tom de confissão das lutas que estava enfrentando no casamento. Rosinha, entre outras coisas, não conseguia aceitar a conversão do seu marido. O que ele não sabia é que a sua amada esposa encontrava-se a poucos metros de nós a ouvir toda a nossa conversa, o que a levou a dar-lhe a chamada “dura” e, ao mesmo tempo, expulsar-me da sua casa.

Já perdi a conta dos perdões que ela me pediu. Isto porque hoje a esposa do ex-governador, e atual governadora do Rio, também pertence ao Senhor Jesus. Passou por uma experiência linda de conversão iniciada numa tarde em que numa oração que fizemos uma resposta incontestável de Deus a convenceu de que seu marido não estava meramente passando por uma experiência psicológica, mas tendo contato com a realidade, pois não servimos, nós cristãos, a um conceito filosófico, mas a um Deus vivo, que criou os céus e a Terra pelo poder da sua palavra e no tempo e no espaço ressuscitou seu único Filho que enviara para nossa salvação.

Deste tempo para cá tenho dito a todos os que me perguntam que o governador Garotinho é um cristão sincero. Não pude apoiá-lo nas últimas eleições. Nem uma única vez usei o púlpito da igreja ou meus programas de televisão a fim de levantar votos para ele. Creio que Deus se entristeceria se usasse estes trabalhos para outros fins. Fora isto, sou pastor dos que o apóiam e dos que têm preferência por outros candidatos. Porém, hoje, fora do período eleitoral, sinto-me à vontade para atender o pedido de um amigo e escrever o que vi Deus realizar em sua vida naqueles dias.

Um ano após sua posse no Governo do Estado do Rio de Janeiro, pedi que minha secretária lhe enviasse um fax, com o pedido de um encontro para matar a saudade. Não nos víamos já havia algum tempo. Ele se mudara para Campos e eu, além de envolvido com um número enorme de atividades, passei um curto período fora do país estudando. Prontamente o convite foi aceito. Emocionado digo que o governador Garotinho e sua esposa, Rosinha, estão entre as pessoas mais gratas que conheço. Fui recebido como o próprio Senhor e num delicioso café da manhã conversamos durante horas sobre a vida e o evangelho.

Espero de todo o meu coração que este testemunho escrito da conversão do governador Garotinho seja usado pelo Deus Todo-Poderoso para transformar milhares de corações, operando aquela obra que faz o homem relativizar as ideologias humanas a fim de absolutizar em sua vida a Palavra de Deus, amar o próximo, lutar pela justiça e adorar o Criador da vida, que é também quem mais nos ama.

Não há nada de que o Brasil mais necessite. Reformas políticas devem ser feitas, mudanças no panorama social realizadas, justa distribuição de renda implantada, mas como chegaremos lá com esta natureza de bode que temos e que já nos levou a produzir duas guerras mundiais? E caso tal milagre ocorresse, que sentido haveria em se viver num mundo onde a origem de tudo é o acaso e onde o que nos aguarda é o retorno ao pó, perante a desatenta frieza surda do cosmo?

Queremos um Brasil transformado, contudo, a partir de homens transformados. Não vejo a menor possibilidade da geração dos meus filhos viver num país melhor sem, além de escolas, termos em cada esquina igrejas compostas por autênticos cristãos. Cristãos que reflitam o caráter do Senhor Jesus. O Rei e Senhor do ex-governador Garotinho e da minha vida.


Um homem de fé
Pr. Vasco Toledo - Igreja Presbiteriana Central de Campos

Geralmente, a pergunta é sempre a mesma: “O Garotinho realmente é crente?” As pessoas sempre me fazem esta pergunta. Tive o prazer de poder pastorear o governador, enquanto ele foi membro da Igreja Presbiteriana de Campos. Nessa época, ele era prefeito de nossa cidade e como um homem público sempre teve seus compromissos sociais e políticos, porém nunca perdeu uma oportunidade de demonstrar sua fé e propagar o evangelho, não só com palavras mas com sua vida. Em Campos, ele deixou a marca de um homem que, além de ser um excelente administrador, é reconhecido pela comunidade como um homem comprometido com a justiça social e um homem de fé.

Durante o tempo em que foi membro em nossa Igreja, Garotinho foi um aluno de Escola Bíblica Dominical assíduo e participativo, tanto ele como Rosinha e os filhos, dos quais destacamos Clarissa e Vladimir. A grande virtude de Garotinho e Rosinha como cristãos é a humildade. Uma característica deste casal sempre foi a submissão à autoridade espiritual e o desejo intenso de aprender mais de Deus. Falar de Garotinho como cristão não é difícil, afinal, não são minhas palavras que mostram a sua verdadeira fé, mas as obras que ele realiza como homem temente e fiel. Vejo nele algumas virtudes de um bom cristão: bom pai, marido e amigo. Quando ele experimentou a graça de Deus em sua vida, e pela forma como tudo aconteceu, muitos podem ter duvidado e dito que seria “fogo de palha”.

Este fogo tem ardido e com certeza continuará ardendo e mostrando ao mundo, através de seu testemunho, o verdadeiro amor de Deus.


Os frutos na vida de Garotinho testemunham que Deus fez uma obra maravilhosa.
Pr. Éber Magalhães Lenz César - Igreja Presbiteriana Luz do Mundo

Em meados de 1996, eu e minha esposa fomos fazer uma visita pastoral a uma família no bairro do Cosme Velho, Rio de Janeiro. Deparamo-nos com um casarão enorme, mas sem luxo, quase totalmente desprovido de móveis e ornamentos. Tudo muito simples. A jovem senhora, dona da casa, recebeu-nos com muita simpatia. Os filhos também... E quantos! Um deles, um menino de cinco anos, estendeu-me a mão e apresentou-se, sem cerimônia: “Eu sou Anthony Garotinho, o verdadeiro...”. Confesso que não entendi nada. Eu sou campista, mas tenho estado longe de Campos desde 1961. Mudara-me de Recife, PE, para o Rio de Janeiro havia bem pouco tempo. Evidentemente, já ouvira o nome Garotinho, mas não relacionei este garotinho e esta família com o Garotinho.

A senhora que nos atendeu apresentou-se também: “E eu sou Rosinha”. Não sabíamos ainda que esta Rosinha era uma conhecida radialista e esposa do Garotinho. Soubemos, posteriormente, que ela própria pedira ao pastor da sua igreja em Campos que não nos dissesse quem ela era de fato... Conversamos bastante. Diante da receptividade, nos oferecemos para fazer com ela e os filhos uma série de nove estudos bíblicos, que hoje chamamos de Evangelho Puro e Simples. E assim fizemos.

Rosinha e os filhos acompanharam os estudos com muito interesse, e passaram a freqüentar a Igreja Presbiteriana Luz do Mundo, que eu tive a alegria e o privilégio de começar em 1994. Fize-ram uma declaração pública de sua fé e foram batizados no Natal daquele mesmo ano, 1996. Garotinho, quando vinha ao Rio, também participava dos cultos na referida igreja. Tornamo-nos amigos.

No dia seguinte à sua posse como governador do Estado do Rio, Garotinho e sua família mudaram-se para o Palácio Laranjeiras. Sua primeira providência foi chamar o pastor e esposa para orar com eles e abençoar a sua nova residência. No dia seguinte, primeiro domingo daquele ano, a família toda estava na igreja para o culto de adoração a Deus. E assim tem sido sempre, exceto quando compromissos governamentais inadiáveis o impedem.

Na igreja que freqüentam, Garotinho e Rosinha não são tratados como Exmo. Sr. Governador e Primeira Dama, respectivamente, mas como irmãos em Cristo e amigos, como todos os outros. Eles se assentam no meio da congregação, com suas Bíblias nas mãos, cantam com o povo e anotam as idéias básicas do sermão. Costumamos terminar nossos cultos com todos se abraçando fraternalmente. Eles abraçam e são abraçados, sem nenhuma distinção.

Só Deus conhece o coração das pessoas, mas Jesus disse, certa vez: Pelos frutos se conhece a árvore. Os frutos, na vida de Garotinho e Rosinha, testemunham que Deus, de fato, fez uma obra maravilhosa de conversão e santificação em seu coração e na sua mente. Eles amam a Deus, a Cristo, a igreja, os irmãos da grande família da fé. Sem que tivesse havido qualquer exigência ou sugestão da parte do pastor ou dos oficiais da igreja, Garotinho e Rosinha dão os seus dízimos à igreja, mensalmente. Como o rei Davi, de Israel, eles oram: “Tua, Senhor, é a grandeza, o po-der, a honra, a vitória... porque teu é tudo quanto há nos céus e na terra... Riquezas e glórias vêm de ti... Graças te damos, e louvamos o teu glorioso nome... Porque tudo vem de ti, e das tuas mãos to damos” (I Crônicas 29:10-14).

Garotinho tem usado o entusiasmo e a palavra fácil que Deus lhe deu, e também o seu crescente conhecimento da Bíblia, para pregar o evangelho e fazer preleções sobre textos bíblicos na igreja que freqüenta e em muitas outras, e também através do rádio. Em setembro de 2000, Garotinho, esposa e filhos participaram de um acampamento de cinco dias realizado por sua igreja. Nesse acampamento, que incluiu louvor, estudos bíblicos, lazer e muita alegria, Garotinho e Rosinha dirigiram os estudos bíblicos do grupo de casais.

Na ocasião, conversando com Rosinha, soubemos do seu desejo de conduzir os estudos bíblicos numa das classes da Escola Bíblica Dominical da Igreja Luz do Mundo. Regressando do acampamento, formamos uma Classe de Casais e convidamos o casal Garotinho e Rosinha para ministrar os estudos que eu próprio escreveria. A classe tem sido um sucesso, com a bênção de Deus. Além dos casais da igreja, a classe atraiu vários colaboradores do Governo. Recentemente, numa celebração dos seus dezenove anos de vida conjugal, Garotinho, ao lado da esposa, disse aos convidados: “Nestes últimos meses, a atividade que me trouxe mais alegria foi o ensino da Palavra de Deus, na Classe de Casais da minha igreja, nos domingos pela manhã.”

Com os evangélicos do Estado do Rio e de todo o Brasil, oramos sempre por Garotinho, pedindo a Deus que o conserve humilde, crente, corajoso e trabalhador, e lhe dê muita sabedoria, muito discernimento e o ajude a governar para o povo. E pedimos a todos os que crêem em Deus e em Cristo, que acreditam no poder da oração feita com fé e em nome de Jesus, indistintamente de suas bandeiras políticas e rótulos denominacionais e religiosos, que orem por Garotinho e, como recomendou o apóstolo Paulo, “por todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranqüila e mansa, com toda a piedade e respeito” (I Timóteo 2:1-3).

Fonte: Palavra de Paz

AGORA A RECOMENDAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO:

Casal Garotinho e outros 86 réus terão 15 dias para apresentar defesa

Apartamento teria sido comprado com dinheiro desviado.
Segundo MP, Garotinho recebeu R$ 600 mil para pré-campanha. Ele nega.

Do G1, no Rio, com informações do RJTV

O casal Anthony e Rosinha Garotinho e outros 86 réus acusados de participar de um suposto esquema de desvio de R$ 410 milhões terão até 15 dias para apresentar defesa por escrito à Justiça. O prazo começa a valer assim que os acusados forem notificados.

Segundo as investigações do Ministério Público, entre os anos de 2003 e 2006, período em que Rosinha era governadora do Rio, a Fundação Escola de Serviço Público (Fesp) movimentou mais de R$ 426 milhões. Os promotores responsáveis pelo caso afirmaram que já conseguiram rastrear R$ 58 milhões do total movimentado pela Fesp.

O dinheiro vinha de secretárias e órgãos estaduais para a suposta contratação de serviços de Organizações Não-Governamentais (ONGs). A Secretaria estadual de Saúde, que tinha na época como gestor o médico Gilson Cantarino, foi responsável por 46,36% desse repasse. O Instituto Vital Brasil, presidido por Oscar Berro, por 20%, o Detran, por 15%, e a maior parte do dinheiro teria ficado a cargo de quatro ONGs.

Dinheiro desviado para compra de apartamento

As investigações do MP apontam que, em outubro de 2004, um apartamento na Tijuca, na Zona Norte do Rio, foi comprado com o dinheiro desviado dos cofres públicos. Um casal, que representava organizações ligadas ao esquema, foi quem adquiriu o imóvel. O pagamento do apartamento teria sido feito por uma empresa fantasma.

saiba mais



Dois empresários seriam os principais articuladores do esquema – o empresário Ricardo Secco, pai da atriz Deborah Secco, e o contador Ruy Castanheira. Os promotores transcreveram conversas telefônicas autorizadas pela Justiça, em que os dois empresários discutiam como desviar o dinheiro.


Dinheiro para campanha presidencial

A denúncia do MP diz ainda que, em 2006, Anthony Garotinho recebeu R$ 600 mil para a sua pré-campanha presidencial. O ex-governador e sua esposa, Rosinha, se defenderam das acusações por meio de seu blog.

Eles afirmaram que o dinheiro foi recebido e devolvido por dois integrantes do diretório regional do PMDB. O casal Garotinho negou envolvimento em qualquer desvio de dinheiro público.

Os empresários Ricardo Secco e Ruy Castanheira foram procurados pela equipe de produção do RJTV, mas não retornaram as ligações.

Promotores investigam ONGs

Os promotores, porém, só investigaram quatro da 14 ONGs que estariam envolvidas no esquema. Através dessas quatro organizações, teriam sido desviados R$ 58,7 milhões. O MP calcula que o prejuízo com o envolvimento das 14 ONGs chegue a R$ 410 milhões.

A fraude começaria com contratações de empresas através da Fundação Escola de Serviço Público (Fesp), feitas, supostamente, sem licitação e envolvendo vários órgãos, como as secretarias estaduais de Educação, de Segurança Pública, de Saúde, o Instituto Vital Brazil, o Detran, a Cedae - a companhia estadual de águas e esgotos - e a Suderj - que administra os estádios, entre eles o Maracanã.

A Fesp teria subcontratado 14 Organizações Não-Governamentais. O Ministério Público concentrou as investigações em quatro delas, que teriam provocado um rombo de R$ 63 milhões ao patrimônio público.

À frente dessas ONGs estaria o empresário Ricardo Secco, que já havia sido preso durante a Operação Águas Profundas e que deu origem à denúncia do MP. Ricardo também foi denunciado, assim como sua atual mulher, Angelina Direnna Secco, sua ex-mulher, Silvia Regina Fialho Secco, e seus três filhos, a atriz Débora Secco, Ricardo Fialho Secco e Bárbara Fialho Secco. Segundo o MP, os três filhos teriam participação numa das empresas envolvidas na fraude.

Fonte: Globo.com/G1

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas na semana

Oito motivos para ter uma chuca portátil

Romanos 1,18-32

Levítico 18,22. 20,13

Namoro Gay

Bluetooth para pegação gay