Mais uma agressão, mais uma vítima


"O que era para ter sido dirversão foi motivo de dor e vergonha".

por Thaís Carapiá

Esse foi o desabafo de Jean Batista, agredido na madrugada desse domingo, dia 25 de setembro, na Blue Space, por seguranças da casa noturna GLS, situada no da Barra Funda, em São Paulo.

Na balada, Jean estava acompanhado por dois amigos, namorados, que acabaram se desentendendo. Os três estavam dançando na pista, quando Jean chamou um deles para uma área que não tivesse tanto barulho para conversarem. No caminho, recebeu uma “gravata” no pescoço e foi “arrastado” para uma sala reservada.

Na sala, havia outro segurança, o qual perguntou a Jean se ele estava portando sua comanda. Nesse momento, Jean percebeu que sua comanda já não estava mais em seu bolso e foi segurado por um segurança e agredido por outro, porque, segundo eles, o cliente estava mentindo por não querer pagar a conta.

Até aquele momento, Jean não havia consumido nada e em sua comanda constava apenas o valor da entrada, 20 reais.

Durante a agressão, Jean perguntou ao segurança o motivo pelo qual estava sendo agredido, ao que o segurança respondeu que ele “já estava dando trabalho” a eles “há algum tempo” e já estava “de saco cheio”.

Jean contou à redação do site SexBoys que era frequentador da casa, mas nunca havia se indisposto com ninguém de lá, garante ele que diz ter testemunhas quanto a isso, amigos que fez na própria Blue Space.

O cliente pediu ao segurança que o agredia para que o deixasse sair, ao que este respondeu que só o liberaria depois que a conta fosse paga, que no caso seria de 100 reais, já que ele havia perdido sua comanda. Assim, Jean pediu para que anunciassem o nome de um de seus amigos, para que ele viesse até ele. Os seguranças o fizeram, e seu amigo chegou falando aos seguranças que soltassem Jean porque ele não havia feito nada de errado e, portanto, não havia motivo para agredirem-no daquela maneira.

Um dos seguranças respondeu ao amigo de Jean que ele só seria liberado depois que fossem pagos os 100 reais correspondentes à comanda perdida.

Então, o amigo foi até o caixa e pagou o valor de 100 reais. Depois disso, Jean foi “jogado” para fora da balada, onde havia outro segurança que começou a chuta-lo, acertando-lhe o tórax e a perna, a qual foi fraturada. O cliente, então, pediu ao segurança que parasse de agredi-lo, que ele iria embora. O segurança repetiu o que outro havia falado, que Jean estava “dando trabalho” a eles, e que naquele dia, não faria nada, porque a vítima estaria com sorte, mas, caso ele voltasse à casa noturna, não sairia de lá vivo.

A uma certa distância da porta da casa noturna, Jean começou a sentir fortes dores no pé, fazendo com que ele não conseguisse continuar andando. Arrastou-se até o Hospital Santa Cecília, onde foi atendido por um médico de plantão, que o medicou e constatou, por meio de raio-x, que ele havia sofrido um trauma na perna esquerda, que precisou ser imobilizada.

Como Jean estava com muitos hematomas pelo corpo, o médico sugeriu a ele que fosse a uma delegacia e registrasse um Boletim de Ocorrência (B.O.). Ele foi levado por amigos até o Departamento Policial 77, onde registrou a ocorrência. O delegado disse a ele que não era a primeira denúncia de agressão por seguranças, e de fato não é mesmo.

Em notícia divulgada pelo G1 (http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2011/09/segurancas-de-casa-noturna-agridem-jovens-em-sp.html), seguranças de uma casa noturna no Itaim Bibi são suspeitos de agredirem um grupo de seis estudantes.

A redação entrou em contato com a Blue Space, no entanto não obteve sucesso.

Mais detalhes: http://www.facebook.com/photo.php?fbid=292842530731955&set=a.147814241901452.29366.100000186310148&type=1&theater"
Crédito da imagem: Reprodução


Publicado em 28/09/2011. 
 
 

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas na semana

Oito motivos para ter uma chuca portátil

Levítico 18,22. 20,13

Romanos 1,18-32

Bluetooth para pegação gay

Namoro Gay