Trio de adolescentes é suspeito de matar homossexual no Vale do Aço

Os menores foram apreendidos após abandonarem o carro da vítima em Ipatinga





IPATINGA – Três adolescentes protagonizaram um bárbaro crime na noite desta quarta-feira (23). Eles mataram a tesouradas e pauladas o aposentado Edilson Rodrigues da Silva, de 51 anos. Homossexual e portadora do vírus HIV, a vítima saiu de casa durante a tarde para ir a uma consulta médica, encontrou com os menores no Bairro Vila Celeste, em Ipatinga, e foi para um matagal com eles para um programa amoroso. No entanto o encontro acabou muito mal e os rapazes resolveram assassinar Edilson para se apossar do carro dele.  

A barbárie começou a ser descoberta no início da manhã desta quarta-feira, quando o automóvel do aposentado, o Corsa Sedan placas GXG-0415, foi encontrado com o tanque vazio no loteamento Santa Clara, na região do Bairro Vila Celeste. Havia várias manchas de sangue no veículo e Edilson foi considerado desaparecido. “Enquanto dávamos buscas nesse carro recebemos informações dando conta que algumas pessoas faziam uso de drogas no Bairro Vila Celeste. Ao abordar essas pessoas, nós as entrevistamos e duas delas confessaram que haviam furtado um Corsa Sedan e o abandonado no loteamento”, explicou o sargento Santos Roberto, um dos policiais militares que trabalharam no caso. Ele continuou: “Conversando mais ainda com os dois que admitiram o furto do automóvel, eles ainda confessaram que haviam matado o proprietário do veículo e abandonado o corpo em Santana do Paraíso. Revelaram também que havia um terceiro envolvido nos fatos”. 

Os três adolescentes que mataram Edilson, dois de 16 anos e um de 15, foram localizados e apreendidos pela PM. “Eles falaram que haviam feito sexo lá no meio do mato (no loteamento) e utilizaram um canivete e pedaços de madeira para matar a vítima. Não disseram o motivo pelo qual resolveram matar o homossexual. O furto do Corsa foi configurado. Então, como houve furto, caracteriza-se latrocínio. Dispensaram o corpo da vítima no meio do matagal em Paraíso e foram embora no carro”, observou Santos Roberto. Apesar de as primeiras informações darem conta que a vítima foi assassinada a canivetadas, foi encontrada uma tesoura debaixo do cadáver e a suspeita é que ela tenha sido usada no crime. O objeto foi apreendido pelo perito Hebert De Mingo, da Polícia Civil. 

A irmã de Edilson, Emilza Rodrigues da Silva, 43, foi ao local onde o cadáver foi encontrado – na mata em Paraíso, na saída de Ipatinga para Governador Valadares – e reconheceu o corpo. Completamente chocada, ela disse que o irmão havia comprado o Corsa Sedan há 15 dias. 

Assassino 
Um dos adolescentes de 16 anos apreendidos conversou com o jornal VALE DO AÇO. Confuso e ainda muito assustado com o ocorrido, ele mal conseguia falar. “Eu participei (do homicídio), mas não me sujei de sangue. Só de barro. Eu dei duas pauladas nele (em Edilson)”, resumiu o rapaz, que completou: “Era a segunda vez que eu me encontrava com Edilson. Ninguém transou com ele. O que aconteceu é que ele fez sexo oral em um dos meus amigos e depois no outro. Na hora que ia fazer em mim os meninos foram e ‘pegaram ele’”.

Conforme o menor, os favores sexuais para Edilson eram realizados em troca de comida. “Ele lanchava com a gente. Pegava a gente lá na Vila Celeste para lanchar com a gente”, disse. 
Ainda segundo o adolescente, ele e os dois amigos encontraram com Edilson por volta das 20h desta quarta e foram para o matagal no loteamento por volta das 21h30. O aposentado saiu para a consulta médica às 16h30. “Na hora do homicídio um dos meus amigos cortou o dedo e pediu a minha blusa para enfaixá-lo”, concluiu o garoto. Ele e os dois colegas foram encaminhados à 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil (1ª DRPC) de Ipatinga. Os três seriam apresentados ao Ministério Público (MP) e poderiam ser mandados para algum Centro de Internação para Adolescente (Cia) fora da região. 

Morador do Veneza 
Edilson residia com a irmã e a mãe na Rua Cristalina, no Bairro Veneza. Conforme familiares, ele sempre saía com a carteira e os documentos pessoais, que não foram encontrados onde o corpo foi localizado. A frente do aparelho de som do Corsa Sedan também não foi localizada. A suspeita é de que os três adolescentes tenham cometido o assassinato para roubar não só o carro, mas também a carteira e o som. 


Fonte: JVA online

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas na semana

Romanos 1,18-32

Levítico 18,22. 20,13

Juiz erra em decisão liminar: clínica psicológica não é laboratório de experiências científicas