Caso Bruno: A igreja evangélica é medonha!

Desfecho-do-caso-Bruno

Das páginas policiais dos noticiários de todo o Brasil, aos blogs da suposta fé reformada, ou neopentecostal, tanto faz! Aliás, os defensores da fé reformada bebem das águas que jorram das fontes sensacionalistas, com uma suposta crítica contra movimentos de renovação, mas que no fundo se alimentam do mesmo fundamentalismo básico e conceito segregado último comum às vertentes da fé cristã majoritária.

Assim, li estarrecido, nas redes de blogs evangélicos reformados e neopentecostais, o caso do goleiro Bruno, supostamente, acusado pela polícia civil de ter assassinado sua ex-amante, Elisa Samúdio, e jogado seus restos mortais aos cães.

Tudo começou quando o pastor da Igreja Batista do Getsêmani resolveu revelar a sua platéia, numa de suas conferências, como era o Bruno, em sua adolescência, freqüentando a Igreja Batista e se recusando a batizar! A conclusão medonha foi:

“... Ele rejeitou a Jesus e sua vida foi destruída pelo pecado”.

Assim, um dos blogs que integram essas redes cristãs, onde uma denominação fala mal da outra, e no fundo todas são farinhas do mesmo saco, declarou:

“...O futebol lhe trouxe dinheiro e fama, e agora se for condenado, irá passar uma boa parte de sua vida atrás das grades. Que Deus tenha misericórdia de nossos jovens, para que nenhum deles se afaste de Jesus, mas que a cada dia tenham a sua fé firmada nEle. Decida-se por Cristo, enquanto há tempo. O diabo vem para roubar, matar e destruir. Jesus veio para lher dar vida, e vida em abundância (João 10:10) (sic).”

Ainda, o blog concluiu:

“Em uma das cenas, o ‘amigo’ do Bruno, conforme relato da reporter traz em seu braço direito uma tatuagem com a seguinte citação da Palavra do Senhor – TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE – ficando bem claro que Bruno ao pedir uma Bíblia e macarrão exibindo esta tatuagem, tinham conhecimento da Palavra de Deus e portanto não estão inocentes do momento que estão passando, pois em algum instante de suas vidas alguem falou do amor de Deus, através do Senhor Jesus para eles, e não deram crédito e estão sofrendo as consequencias (sic).”

Caro leitor, eu tenho medo da igreja evangélica e o rumo em que a mesma se conduz. Eles são mestres em acusar, tudo e todos, a qualquer tempo e momento. São preconceituosos e, principalmente, acham que podem falar de todas as coisas, livremente e sem conseqüências para eles.

Bruno vem sendo acusado pela polícia, que no conjunto probatório do inquérito lançou mão de provas insólitas, sem substância lógica, querendo provar pela materialidade indireta, que na sistemática final, não se sustenta no corpo probandi último. Nosso Direito é regido pela inocência presumida dos cidadãos, até que se prove o contrário. Em dúvidas, o réu deve ser considerado inocente: in dubio pro reo. Bruno ainda não foi julgado e, portanto, ele é inocente até que se prove o contrário, vem sendo acusado pela polícia, mas é inocente até o dia em que a justiça se pronunciar sobre esse caso, tendo-o por culpado, ou não. Ainda, nossa constituição lhe garante a plena defesa, a paridade das armas, o contraditório, o devido processo legal, sendo passível de responder juridicamente, quem não respeitando a presunção de inocência se manifestar, sem provas,  condenando-o.

A igreja evangélica, entretanto, já julgou e o escurraçou e agora explora sua imagem no sensacionalismo da fé para com suas esquizofrenias divinas angariarem mais dízimos e fiéis às filas de suas bancadas, embasbacando o povo e engordando as contas bancárias pastorais. A igreja evangélica é MEDONHA!

Comentários

  1. Há, e você só descobriu isso agora? XDDD

    A igreja é feita de homens. Homens são falhos. A Palavra sofre livre-interpretação, coisa errada segundo uns, coisa certa segundo outros. Mas a única coisa que temos certeza é que ninguém interpreta nada contra os próprios interesses.

    Minha irmã, que já foi evangélica, quando soube dessa história soltou um "Crente também mata.". Não posso concordar mais com ela. Todos somos inocentes até que se prove o contrário? Ideologicamente sim, mas na realidade, não. No nosso mundo a inocência é dada pela capacidade do advogado. A justiça humana é falha.

    Só nos resta acreditar na justiça Dele, no final das contas.

    Gostei muito do blog! Sou heterossexual mas acredito honestamente no "amai aos outros como a ti mesmo" e tudo o mais. É gostoso ver que há mais gente no mundo que acredita que Jesus não excluía ninguém, nem julgava ninguém.

    Já estou seguindo ;D

    Bessos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

1-Este blog aceita comentários que sejam específicos, ou em diálogo com as postagens correspondentes, conteúdo fora do contexto da mensagem correspondente poderá não ser publicado.

2- São vedados comentários com conteúdo de pregação ou proselitismos de doutrinas específicas de igrejas cristãs, ou qualquer outra religião,salvo quando estes se referirem à crítica de uma postagem principal em concordância ou discordância da mesma, devidamente fundamentados.

3-Conforme art. 5º, IV da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato.

4-Todo conteúdo dos comentários será avaliado, sendo reservado o direito de não serem publicados, os comentários, caso seus fundamentos sejam ofensivos ou desrespeitem o direito dos homossexuais.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas na semana

Oito motivos para ter uma chuca portátil

Romanos 1,18-32

Levítico 18,22. 20,13

Namoro Gay

Bluetooth para pegação gay