Evangélicos declaram guerra aos gays

No texto, o autor Jamierson Oliveira (editor das revistas Povos e Apologética) declara que a luta será maior do que a travada contra o comunismo: “uma batalha”! Assim se expressa o infeliz fundamentalista.

Depois dispara numa tentativa de convocar a bancada evangélica no Congresso Nacional. Leia abaixo o texto na íntegra:

untitled

Irmãos, não vos enganeis! Esta é uma operação orquestrada por uma horda de demônios. Podemos esperar, que esta será a maior batalha da Igreja nesses tempos finais, uma luta maior que do que foi o comunismo no século passado! (sic).

Enquanto isso, a maioria de nós não gosta de debater a questão, se omite, preferindo o silêncio e o anonimato. Esse tem sido o comportamento da maioria dos líderes evangélicos para não se desgastar, ou ser processado. Ou, quando foi a última vez que você ouviu seu pastor falar com coerência e sabedoria no púlpito da sua igreja, ou nos programas de tv e rádio? Ainda por este ponto devemos ao Silas Malafaia pelos seus insights nos seus programas e até em outros, como no "Programa do Ratinho".

Agora, incrível mesmo é ver até evangélicos se expressando favoravelmente sobre o assunto. Com frases escorregadias tipo: “Não podemos forçar nada, Deus nos deu o livre-arbítrio”; “Assim como evangélico quero respeito, acho que os gays também tem esse direito” e outras colocações do gênero. Mas vale lembrar a história, que no início a própria igreja evangélica (ou parte dela) apoiou o regime nazista, e deu no que deu (sic).

E a dita bancada evangélica? Bem, isso já é história pra boi dormir...

PS: Estou preparando uma matéria de capa para a revista APOLOGETICA CRISTÃ (www.revistaapologetica.com.br). Abordarei questões éticas, históricas e teológicas. Também denunciaremos todos os absurdos da agenda gay e do governo PT e Cia! Aguardem!

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas na semana

Oito motivos para ter uma chuca portátil

Romanos 1,18-32

Levítico 18,22. 20,13

Namoro Gay

Bluetooth para pegação gay