EVANGÉLICOS, GAYS, PROMISCUIDADE E BLÁ, BLÁ, BLÁ...




Lendo alguns artigos na internet, acabei por entrar em sites evangélicos, num deles, curiosamente, achei uma reportagem sobre o falecimento de Clodovil Hernandes, na verdade, um artigo completo que falava da vida do deputado e estilista. Mas, foi ao final, que o não surpreendente aconteceu... Até mesmo, eu estava surpreso por tudo aquilo, entretanto, não fugindo à regra, um comentário final do editor do blog: 

Infelizmente, Clodovil era uma pessoa solitária, de maneira que mesmo que quiséssemos, não teríamos a quem prestar condolência. Mas não poderíamos deixar de expressar nossos pêsames por seu falecimento. Ainda que discordemos de muitos dos seus posicionamentos, admirávamos sua autenticidade e seu talento artístico.Embora assumisse publicamente sua homossexualidadejamais deixou de expressar seu repúdio à promiscuidade, e de expor a tristeza que sentia por sua condição. Quem somos nós para julgá-lo? Em vez de julgar, que tal proceder de acordo com a recomendação bíblica de "chorar com os que choram"?

 Na verdade, antes não chorarem! Afinal, e muito próprio, parece-me que eles (os evangélicos) já se alegraram demasiadamente enquanto Clodovil, morto, fingia viver! Pois é assim, que os religiosos CRISTÃOS se comportam em relação aos gays: "gay bom é gay morto!". Jamais quererão reconhecer qualquer direito, mínimo que seja, em relação aos LGBTs, e sempre farão desse discurso da "promiscuidade" a bandeira de frente para combater tudo que venha dos homossexuais, afinal, taxar essa categoria de promíscua é conditio sine qua non desse jogo espúrio e maldoso, que no final, sempre vem revelando em que lugar, de fato, habita a promiscuidade! Seria desnecessário falar dos adultérios, no meio evangélico, inclusive na alta cúpula das igrejas, e das escorregadas do celibato entre os clérigos romanos  e, de igual modo, o imperioso adultério reinante no seio das famílias católicas? 

Penso eu que não, nunca é demasiado lembrar, e também, vale dizer, que nunca irei me conformar dos homossexuais, inúmeras vezes, assumirem esse discurso para si mesmos e se condenarem nele! Não é promíscuo o gay por fazer sexo, nem mesmo aqueles que se entregam as prazeres carnais com extrema facilidade... O conceito de promiscuidade é um conceito de mistura desordenada, e me parece muito próprio alguém que condena algo, na calada da noite, praticar àquilo que condenou publicamente, algo misturado, desordenado e confuso, ou seja, promíscuo! De igual modo, uma pessoa que jura fidelidade eterna e trai, adultera, parece-me uma mistura de valores, demasiadamente, promiscua! 

Mas, infelizmente tem muito gay que não enxerga seu lugar, como o caso de Clodovil, e que prefere viver uma vida falecida, cheio de traumas e crises, do que vivenciar uma sexualidade sadia em si mesmo, para no final, em sua morte, ter uma notinha de rodapé, de uma igrejinha qualquer, de um pastorzinho qualquer, elogiando a sua "morte vida" como o ápice do esplendor humano, mas, cada um acredita no que quer... 

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas na semana

Romanos 1,18-32

Levítico 18,22. 20,13

Oito motivos para ter uma chuca portátil