segunda-feira, fevereiro 27, 2012

Por que Claudia Leitte, e não Edmundo? Afinal, que querem os gays?


Como ativista e jornalista LGBT, continuo considerando que a escolha de Claudia Leitte para madrinha da Parada Gay de Salvador é um equívoco. Das três, uma: ou o GGB (Grupo Gay da Bahia) tomou um chá alucinógeno, ou a diretoria é formada por fãs da loira - fãs daquele tipo que "tudo desculpa" em relação a seu ídolo -, ou criou um factoide para causar comoção e tão-somente divulgar a Parada. Torço para que seja a última hipótese.

Em entrevista a Léo Áquilla para o TV Fama, em 2008, para quem não se lembra, Leitte disse que "adora os homossexuais", mas preferia que seu filho "fosse macho". Ato contínuo, foi secundada pelo marido, que declarou que o filho seria "bem-criado". O curioso? Ainda tem gente - gays, inclusive - que não acha que a declaração foi infeliz!


Resta, porém, a pergunta: afinal, o que queriam os gays? Que ela dissesse que preferia ter um filho gay? E, diriam outros, não seria uma "discriminação" contra heterossexuais se ela assim o dissesse?

A resposta é não... Os gays não queriam que ela dissesse que preferia ter um filho homossexual. O que os gays queriam, e ainda querem, é ser amados por seus pais independentemente de sua orientação sexual. O que os gays queriam, e ainda querem, é que sua orientação sexual não seja, por si só, um elemento que cause decepção a seus pais, até o ponto que os pais gostariam que eles fossem de outro jeito, como se ser gay fosse, por si só, um "defeito".

Devo dizer que não me importa se Leitte é ou não homofóbica na sua vida particular, na sua vida profissional, na relação com seu staff ou com seus fãs nos shows, nem mesmo se seu bloco no Carnaval é aquele onde gays mais beijam ou não. Inclusive, considero ser impossível determinar que ela seja homofóbica ou não apenas por uma declaração que, de toda forma, pode ter sido totalmente espontânea e, quem sabe, até impensada.

O que importa, e aí já como profissional da comunicação social, é que sua declaração reforçou, simbolicamente, o machismo e a homofobia que tantos dissabores causam a gays já no seio da família. Somente quem é homossexual, travesti ou transexual sabe o sofrimento e as crises que nos são infligidos, ainda em tenra idade, por pais que "preferiam ter um filho macho" - e pelo medo de que eles descubram que somos homossexuais.


Somente quem é homossexual, travesti ou transexual sabe também que essa preferência quase nunca é tão-somente uma preocupação genuína dos pais ou das mães quanto ao fato de seus filhos sofrerem ou não preconceito por parte de terceiros, argumento que Luiz Mott, por sinal, tem usado para defender a escolha de Claudia Leitte por parte do GGB, mas a manifestação de um valor social inegavelmente de matriz homofóbica que os irmana a outros que veem a homossexualidade com desconforto e/ou algo indesejável... Como, enfim, algo indigno, um elemento passível de causar decepção.

Se Claudia Leitte tivesse respondido, frente à pergunta de Léo Áquilla, que se tivesse um filho gay, isso não importaria: ela o amaria de qualquer jeito, seria um exemplo e um modelo para tantos gays e seus pais, além de mostrar que existem pais e mães esclarecidos que, pelo amor, ultrapassam a barreira cultural imposta pela homofobia e amam seus filhos independentemente do que são - e não pais que amam com um "mas". Era isso, repito, que os gays queriam.

Ao não fazer isso, Claudia se irmanou aos pais do "mas": ama o filho, "mas" gostaria que ele fosse de outro jeito. Ama o filho, "mas" gostaria que ele fosse macho - e, muito provavelmente, não por simples preocupação com o filho, mas pelo conforto que isso traria para a própria Leitte, uma vez que sabemos que, mesmo quando o filho é patentemente feliz com sua homossexualidade, os pais do "mas" ainda preferiam que ele "fosse macho" e se casasse com uma mulher.

Exemplo muito diferente deu o ex-jogador e comentarista Edmundo (http://www.mundomais.com.br/exibemateria2.php?idmateria=2041), que declarou amar incondicionalmente seu filho, independentemente de sua condição sexual, uma mensagem, aí sim, muito mais condizente com o que queremos transmitir a nossos pais, ainda que Claudia Leitte tenha evoluído em suas opiniões, do que, de minha parte, até o momento, não vi qualquer sinal.


Portanto, não se trata, como se vê, de "rancor", como porta-vozes do GGB têm dito sobre nós outros, que discordamos da escolha da loira para madrinha. Trata-se da mensagem que estamos transmitindo à sociedade... Ou vamos fingir não é possível ver um Silas Malafaia fazer uso de todo esse imbróglio, a fim de argumentar que "nem os gays" querem ter filhos gays e usando a declaração de Claudia Leitte como "prova" de que a homossexualidade é algo sempre indesejável, até por parte daqueles que têm inúmeros fãs na comunidade homossexual?
 
Fica, portanto, a pergunta ao GGB... Por que optar pela madrinha do "eu amo, mas", e não pelo padrinho do amor incondicional? Por que optar por alguém que adora os homossexuais, desde que não sejam de sua família ou seus filhos, em vez de alguém que aprendeu a amar incondicionalmente, para além das diferenças sexuais? Por que Claudia Leitte, e não Edmundo?

5 comentários:

  1. Olha, não queria comentar por que sabemos da inimizade grande do autor do texto João Marinho comigo, mas vou comentar. Em primeiro lugar, concordo totalmente que a escolha de Cláudia Leitte para madrinha da Parada da Bahia é totalmente equivocada e é um retrocesso. Isso posto, vamos a outra questão. Acho falacioso o Movimento LGBT e seus representantes jornalistas, para embasarem seus argumentos, se apropriarem de APENAS UM PEDAÇO DA FALA DO EDMUNDO, isso não é justo com nós, leitores/as deste blog e nem justo comigo que também sou militante lGBT e mereço consideração, apesar de não tê-la, por não ser de isssssssssssssquierda e nem ter "simpatias pelo PT", mas vamos lá: O que ele realmente disse, comprovadamente, foi, o que o jogador edmundo realmente disse comprovadamente foi(repito): """Ele nunca me falou: ’Pai, sou gay’. Mas claro que não sou idiota, ele tem aparência total. E vi a mãe dele falando na TV. Mas não muda nada. Respeito e admiro igualmente. Tenho muitos amigos gays. Mas é claro que quando é com o outro é mais fácil, mais legal. Quando é na nossa família fica mais difícil. POR MAIS QUE EU NÃO SEJA PRECONCEITUOSO, NINGUÉM QUER TER UM FILHO HOMOSSEXUAL, até pelo preconceito que ele vai sofrer". Ele usou o termo "NINGUÉM""...
    aqui:http://natelinha.uol.com.br/noticias/2011/05/16/140523.php
    e http://belverede.blogspot.com.br/2011/05/edmundo-ninguem-quer-ter-filho.html
    Portanto, não vejo muita diferença entre o que disse a Cláudia Leitte e o que disse o Edmundo, para ser usado como contraponto. Fora que um jogador patriarcalista que matou três pessoas em um acidente de trânsito gravíssimo, foi declarado culpado, mas, covardemente, nunca assumiu sua culpa, não é exemplo da NADA! Aqui:http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2011/06/ex-jogador-edmundo-deve-ser-preso-15-anos-apos-acidente-que-matou-tres.html aqui:http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5188059-EI5030,00-Foragido+Edmundo+e+procurado+por+equipes+policiais+no+Rio.html
    """O trágico acidente na Lagoa não foi o único episódio de trânsito envolvendo Edmundo. (continua)

    ResponderExcluir
  2. (cont.)Em 2005, após sair de uma casa noturna no Leblon, zona sul do Rio, o atleta foi detido por dirigir embriagado e por desacato a autoridade. Com o pagamento de R$ 3 mil de fiança, ele foi liberado, mas um exame apontou 19,7 dg de álcool por litro no sangue de Edmundo - na época, a lei permitia até 6 dg""" esse é o exemplo que o autor do post acima quer como contraponto para Claudia Leitte??????
    "Amar incondicionalmente" como, se ele mesmo, o Edmundo, assume que sempre foi um pai extremamente ausente?? me poupe... ele Edmundo ainda fala o absurdo, no mínimo desinformado ao extremo sobre homossexualidade: ""Para mim, ele não assumiu. Mas vejo traços. Pode ser coisa de pai enganado, mas tanto eu quanto a terapeuta não temos certeza disso. Talvez seja uma fuga, uma consequência da convivência apenas com a mãe (Cristina Mortágua), que é muito afetada. """... ou seja, para o jogador pai, ser homossexual é consequência de ter uma mãe afetada"""...http://virgula.uol.com.br/ver/noticia/esporte/2011/08/23/282677-edmundo-diz-que-filho-nunca-admitiu-ser-homossexual-para-ele"... rio e choro ao mesmo tempo, por que essa declaração dele, além de homofóbica, é machista.
    Acho igualmente engraçado e para refletir:
    Nos mesmos dias em que se iniciou o quiproquó Claudia Leitte e GGB e mobilizou muito a MIlitância LGBT, no mesmo tempo e época, o senhor Toni Reis, presidente da ABGLT cumprimentou publicamente e deu parabéns a um notório criminoso petista chamado José Dirceu, ligado aos crimes do mensalão, chamou o bandido de "companheiro de luta LGBT" e "contra a opressão", usou o nome da ABGLT , que representa perto de 300 entidades e ong's LGBT's, como se todas elas concordassem com isso e... quase ninguém da militância falou nada... O que foi mais prejudicial para nós? Nós , LGBT's? não sei mesmo... e , claro, não falaram nada por que o Toni e o Dirceu são do PT, são da "esquerda", portanto merecem serem poupados e blindados, né não?? claro que silenciarem sobre isso representa alguma coisa... para mim, é extremamente grave aplaudir um criminoso e atrelarem o mesmo à nossa causa, mas para a "esquerda" LGBT isso nada representa... bela esquerda essa que nunca conquistou nada em nosso favor, nada... mas, a psicanálise já fala do que representa o silêncio conivente... o silêncio conveniente, quando querem...
    Enfim, não acredito na não militância. Mas também na militância estranha que aí está, não dá para acreditar muito. Ao menos entre nós, LGBT's que lutam ( apesar da isquierda viver tirando pelo de mim e da minha luta, nunca reconhecendo ), ao menos entre nós deveria haver um mínimo de empatia e honestidade, sem apelações.
    Obrigado,
    Ricardo Rocha Aguieiras
    aguieiras2002@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  3. Aliás, alguém escreveu algum texto me defendendo dos evanjas fundamentalistas e do absurdo abaixo assinado??? ..ninguém...kkkkk bela e solidária militância...kkk
    aqui: http://www.peticaopublica.com.br/PeticaoListaSignatarios.aspx?page=&sr=6001&pi=P2012N21782

    ResponderExcluir

1-Este blog aceita comentários que sejam específicos, ou em diálogo com as postagens correspondentes, conteúdo fora do contexto da mensagem correspondente poderá não ser publicado.

2- São vedados comentários com conteúdo de pregação ou proselitismos de doutrinas específicas de igrejas cristãs, ou qualquer outra religião,salvo quando estes se referirem à crítica de uma postagem principal em concordância ou discordância da mesma, devidamente fundamentados.

3-Conforme art. 5º, IV da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato.

4-Todo conteúdo dos comentários será avaliado, sendo reservado o direito de não serem publicados, os comentários, caso seus fundamentos sejam ofensivos ou desrespeitem o direito dos homossexuais.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...