Homossexuais salvos por Cristo


por Paulo Bergsten Mendes

Eu, Pedro, apóstolo do Senhor Jesus, estava dormindo. Na semana anterior havia sido convidado a anunciar Cristo a uma casa de homossexuais. Jamais poderia aceitar esse convite. Como? Travestis, lésbicas, gays e bissexuais ouvirem falar que Cristo as(os) ama! De maneira alguma. Jamais irei. Nunca!

Mas eis que tive uma visão onde surgiam na minha frente um monte de animais impuros e uma voz que dizia: “Pedro, mata esses animais e come!” E eu logo respondi. “Jamais, Senhor! Esses animais são impuros”. E o Senhor me respondeu. “Não chame de impuro o que eu purifiquei”.

Não havia entendido a visão. E ela se repetiu. Mas continuei confuso. Mas no dia seguinte, fui convidado novamente, a pregar para um grupo de homossexuais. E imediatamente recusei. Mas então escutei aquela voz no meu interior: “Não chame de impuro o que eu purifiquei!”. Fui então. Com receio. O que iriam pensar de mim os demais irmãos. Eu apóstolo de Jesus anunciando boas novas a um grupo de homossexuais?

Quando cheguei àquela casa fiquei assustado. Uma casa cheia de pessoas. E então entendi a minha visão. E falei:

“Gente, o Senhor me enviou aqui para anunciar o amor de Cristo. Ele morreu para nos dar vida. Ele chama todos vocês a andar junto Dele. Ele aceita vocês exatamente do jeito que são. Ele diz amorosamente: Se alguém vier após mim, de maneira alguma lançarei fora. Cristo sabe do quanto vocês se martirizaram por serem homossexuais. De quanto tempo levaram para conseguir admitir para vocês mesmos essa realidade. E que muitos lutaram muito para deixarem de serem homossexuais. Mas deixar de ser, é não ser, e não ser, é não existir. Mas hoje eu estou aqui para dizer que o Senhor Jesus me mostrou numa visão que vocês estão limpos. Estão limpos, pois Ele os purificou com o seu sangue. Estão limpos, pois Cristo os comprou por um alto preço. E que Ele vos chama a andarem perto deles. Ele os aceita como homossexuais. Ele quer lhe oferecer a sua mão amiga. Ele se indigna quando os demais religiosos batem o martelo com a sentença de morte e condenação a vocês. O que Ele pede a vocês é que amem ao próximo como a si mesmo. Que se amem muito, pessoal. Que se aceitem, pois Ele vos aceita! Não deixe ninguém dizer que o amor de vocês por outra pessoa é moralmente errado. Deus é amor, e todo amor vem de Deus!”.

E quando terminei de falar havia lágrimas nos olhos. Havia pessoas tocadas, sensibilizadas com a Verdade. A Verdade que Deus justifica. E que ninguém pode chamar de impuro, o amado(a) que Deus purificou, justificou e adotou como filho(a). Somos todos filhos de Deus. Louvado seja o nome do Eterno!

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas na semana

Oito motivos para ter uma chuca portátil

Romanos 1,18-32

Namoro Gay

Levítico 18,22. 20,13

Bluetooth para pegação gay