Bangkok Love Story (história de amor?)


Esta semana ganhei um DVD de um amigo, com a temática gay e o relacionamento homoafetivo, embora soubesse que se tratava de um drama- não pude deixar de perceber alguns fatores, que no comportamento social, nos deparamos todos os dias.

A verdade é que determinados conceitos são verdadeiros tabus, que não são facilmente deixados ou esquecidos, pelo contrário, estão vivos no corpo social e ditam, entre outras coisas, um “estilo de fracasso pessoal” àqueles que desejam largar tudo e serem felizes.

Não consegui encarar de outra forma o filme Bangkok Love Story. Aliás, não só ele, mas, como em O Segredo de Brokeback Mountain, o superego punitivo está dando às linhas, o que deve ficar resguardado no inconsciente de cada um: viver um relacionamento homossexual é pedir para morrer!

O medo social de que um relacionamento gay seja harmonioso e familiar é explícito, e, ainda que seja por denúncia do preconceito, o final de filmes homoafetivos sempre são recheados de desgraças punitivas, de um lado religioso arcaico e recalcado, onde todos os envolvidos são atingidos sem misericórdia. Sofrem os familiares heterossexuais do homossexual, este sempre acabará morto, quando não morre toda a família! O parceiro homossexual sobrevivente ficará fadado à eterna solidão, e desventura da vivência cicatrizada, e dolorida do relacionamento rompido pela desgraça do destino (ou predestino) fatídico.

O amor impossível, a associação proibida, a amizade maldita, sempre, são cercados de pragas de penúria, aos aventureiros homossexuais, e suas promiscuidades, como forma de contenção ao senso de um relacionamento, perfeitamente, desejado e possível. Não é sem razão que por tanto tempo tenho dito que é hora de santificarmos os relacionamentos gays, mas não no modelo de uma santidade puritana, heteronormativa, pelo contrário, é hora de pararmos de olhar o estilo de vida gay como gueto! E entender que, seja qual for à situação, não é a heteronormatividade paradigma para os gays.

Nessa mesma linha Foucault dizia de uma invenção gay, do estilo gay! Algo criado, totalmente novo, pensado pelos próprios gays. Acontece, que os homossexuais, muitas vezes, enxergam-se com os olhos “heterossexualizados”, reproduzem, assim, todo o preconceito existente na sociedade, ainda que queiram denunciar o mesmo, o final é o reforço do tabu: O GAY DEVE VIVER SÓ, SE POSSÍVEL CASTO, E SEUS RELACIONAMENTOS DEVEM SER CASUAIS.

Ainda, somando-se ao coro, o estilo de vida casual deve vir com a marca ou estigama do promiscuo. Assim, o sinal da maldição continuará a acompanhar todos aqueles que não disfarçarem seus reais interesses em prol da heteronormatividade.

Bem, enquanto isso, seguimos na nossa luta diária por uma sociedade mais digna e justa para todos!

Sinopse e download do filme:

Continue lendo ►

    Dois homens se encontram numa cilada do destino e se apaixonam mortalmente. Maek é um assassino com missão de matar Iht. Maek trabalha para a Máfia e seus crimes sustentam a mãe HIV+ e o irmão.

    Em uma missão, ele tem que seqüestrar um policial jovem e belo e entregar a seu chefe. Durante a luta com a vítima, ele leva um tiro no ombro.

    Iht cuida do seu algoz e começa a fluir a paixão entre os dois. Eles negam os seus desejos homoeróticos, por conta da profissão deles, mas a paixão é mais forte.

    Confira no blog do Jean o filme e faça o download do mesmo

Comentários

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

As mais lidas na semana

Levítico 18,22. 20,13

Oito motivos para ter uma chuca portátil

Namoro Gay