sexta-feira, outubro 14, 2011

Costa Rica permite visitas íntimas aos gays em presídios



A Sala Constitucional da Corte Suprema da Costa Rica anulou um regulamento carcerário que proibia visitas íntimas entre casais do mesmo sexo, o que permite aos homossexuais terem acesso ao mesmo direito, confirmaram nesta quinta-feira as autoridades do Poder Judiciário.
A resolução da corte respondeu a uma ação de inconstitucionalidade apresentada em fevereiro de 2008 pela defensora pública Natalia Gamboa, que argumentava que a proibição era uma medida discriminatória, informou nesta quinta-feira comunicado oficial.
Os juízes anularam na quarta-feira uma parte do Regulamento Técnico do Sistema Penitenciário, que estabelecia que "a visita íntima é o exercício do direito do presidiário ao contato íntimo com outra pessoa de sua escolha, de diferente sexo do seu". A sala declarou inconstitucional o trecho "de diferente sexo do seu", indicou o comunicado do Poder Judiciário.
A resolução foi apoiada por quatro dos sete integrantes da Sala Constitucional, que consideraram que o texto "transgride os princípios de igualdade e dignidade humana".
A ação de inconstitucionalidade foi apresentada por Natalia depois que um presidiário entrou com um recurso de proteção por terem negado uma visita de seu parceiro.
A defensora pública manifestou ao jornal local La Nación que o regulamento "limitava a liberdade sexual dos presidiários porque dava um tratamento diferente à preferência sexual da pessoa", e "quebrava o princípio de igualdade".
A procuradora-geral, Ana Lorena Brenes, apoiou a ação de inconstitucionalidade e afirmou que "não existem razões objetivas e justas para discriminar os presos homossexuais, utilizando como único parâmetro a opção sexual".
A decisão foi comemorada pelos grupos e ativistas dos direitos homossexuais, que consideraram a medida como mais um passo na eliminação da discriminação.

Fonte: TERRA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

1-Este blog aceita comentários que sejam específicos, ou em diálogo com as postagens correspondentes, conteúdo fora do contexto da mensagem correspondente poderá não ser publicado.

2- São vedados comentários com conteúdo de pregação ou proselitismos de doutrinas específicas de igrejas cristãs, ou qualquer outra religião,salvo quando estes se referirem à crítica de uma postagem principal em concordância ou discordância da mesma, devidamente fundamentados.

3-Conforme art. 5º, IV da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato.

4-Todo conteúdo dos comentários será avaliado, sendo reservado o direito de não serem publicados, os comentários, caso seus fundamentos sejam ofensivos ou desrespeitem o direito dos homossexuais.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...