sábado, abril 30, 2011

Ministro da Justiça repreende Bolsonaro

MJ

O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) tornou a causar polêmica na Câmara dos Deputados, ao criticar o material do Ministério da Educação para combate de homofobia nas escolas. Nessa quarta-feira, durante sessão da Comissão de Direitos Humanos sobre segurança pública, Bolsonaro disse ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que "não teria orgulho de ter um filho gay" e chamou o material do MEC de "kit gay". Indiretamente, o deputado atacou o colega parlamentar Jean Wyllys (PSOL-RJ), que é professor e se declara homossexual.

"Este é o ambiente propício para colocar isso. Uma pessoa já disse aqui que as melhores professoras que teve foram as prostitutas. Tem professor que é gay. Será que é bom também?", afirmou Bolsonaro. A presidente da comissão, deputada Manuela D'Ávila (PCdoB-RS), advertiu o comentário do deputado, dizendo que não aceitaria provocações. Jean Wyllys reagiu, respondendo que se sentia "profundamente ofendido" com a declaração do colega. Sustentando o bate-boca, Bolsonaro disse que era vítima de preconceito. "Estou sofrendo preconceito homossexual", declarou, aos gritos.

O ministro Cardozo defendeu o deputado do PSOL e o material do Ministério da Educação. “O limite do direito é o direito do outro. É na escola que se combate os preconceitos”, afirmou Cardozo.

Jair Bolsonaro tenta se defender, na Corregedoria da Câmara, a acusações de racismo e preconceito contra homossexuais, por declarações concedidas a um programa de televisão em março.

Fonte Gay1

quarta-feira, abril 27, 2011

Declaração de amor gay: surdo-mudo

Lindo, lindo! Garoto faz declaração gay em linguagem de surdo e mudo!

SM

Os Cafetões da fé

 

Mensagem de Davy Alberto do blog: Livro Proibido Amor

cefPorque Jesus pode fazer parte dos seus desejos mais sórdidos: Dinheiro e poder!

terça-feira, abril 26, 2011

Jovem é morto a machadadas por irmãos com ajuda da mãe em Teófilo Otoni

Uma briga de família terminou em tragédia em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri. O corpo de um jovem foi encontrado pelos bombeiros nesta segunda-feira no Rio Mucuri, supostamente assassinado pela mãe e pelos dois irmãos na madrugada desse domingo.

Segundo a Polícia Militar, no fim da noite desse domingo a mãe do jovem, de 25 anos, teria colocado um remédio no suco da vítima para que ele adormecesse. Quando a vítima já estava dormindo, um dos irmãos da vítima, um adolescente de apenas 15 anos, pegou um machado e deu vários golpes na cabeça do irmão, que morreu na hora.

Após o homicídio, a mãe do jovem morto e os dois irmãos -- além do rapaz de 15 anos outro adolescente de 17 anos --, pegaram um lençol e um cobertor e enrolaram a vítima. Com um carrinho de mão, eles levaram o corpo até o Rio Mucuri, onde jogaram o jovem.

Uma testemunha que presenciou o corpo sendo jogado no rio ligou para a polícia e contou o que tinha acontecido. A PM foi até a casa da família, na zona rural de Teófilo Otoni, e com autorização da mãe da vítima entrou e vasculhou o local, encontrando o cobertor e o lençol sujos de sangue.

Os três suspeitos confessaram o crime e disseram que mataram o jovem porque há bastante tempo ele estava ameaçando a todos, mas principalmente o adolescente de 15 anos, que seria o autor das machadadas.

Os três foram levados para a delegacia da cidade, assim como o lençol, o cobertor, o carrinho de mão usado no transporte do corpo e o machado usado no crime.

Na manhã desta segunda-feira, já com as informações do local onde o corpo tinha sido jogado, os bombeiros da cidade estiveram no local e começaram as buscas pelo corpo que foi encontrado cerca de 300 metros do ponto onde foi jogado. O corpo do jovem foi levado para o IML de Teófilo Otoni.

 

Fonte: O Tempo

Globo censura "Os Simpsons" em cena de beijo gay

Cena do beijo gay entre Homer e Moe no episódio "Todo o
Mundo Morre um Dia", exibido na última sexta-feira

A Globo cortou a cena de um beijo gay entre Homer e Moe, no episódio "Todo o Mundo Morre um Dia" de "Os Simpsons", exibido na manhã da sexta-feira passada.

A sequência teve mais de um minuto e era importante para a conclusão do capítulo. A emissora afirma que não mostrou as imagens do desenho devido à classificação indicativa do horário, que é livre.

    Fonte Gay1

Gay xingado na frente dos colegas de trabalho recebe R$ 50 mil na Justiça

JT

Um funcionário chamado de "viadinho" na frente dos colegas de trabalho conseguiu na Justiça provar o preconceito e foi indenizado em R$ 50 mil por danos morais.

O juiz José Saba Filho, da 73ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, obrigou a Sul América Cia Nacional de Seguros a indenizar o empregado por ter sido xingado pelo gerente da empresa, com palavras ofensivas e depreciativas por ser homossexual. Ainda cabe recurso na decisão.

- É evidente que os atos reiterados do gerente, no ambiente de trabalho, ridicularizando o subordinado, chamando-o pejorativamente de "viadinho", revelam discriminação, preconceito e desprezo em relação à pessoa do acionante e, assim, certamente afetaram a sua imagem, o íntimo, o moral, resultando em prejuízo moral que deve ser reparado.

De acordo com as testemunhas, o gerente chamava com frequência o subordinado de "viadinho" na frente de outros empregados.
Para o juiz, o poder do empregador não autoriza que seus gerentes usem o cargo superior para praticar assédio moral e usar tratamento contra as regras de boa conduta.

Segundo Saba Filho, é dever do empregador zelar por um ambiente de trabalho sadio e sem que a relação entre os funcionários rompa os limites legais.

sábado, abril 23, 2011

Curta Metragem: Eu Não Quero Voltar Sozinho


Sinopse: A vida de Leonardo, um adolescente cego, muda completamente com a chegada de um novo aluno em sua escola. Ao mesmo tempo, ele tem que lidar com os ciúmes da amiga Giovana e entender os sentimentos despertados pelo novo amigo Gabriel.

Elenco:
Ghilherme Lobo, Tess Amorim, Fabio Audi

Roteiro e Direção:
Daniel Ribeiro

Produção Executiva :
Diana Almeida

Fotografia:
Pierre de Kerchove




Direção de Arte:
Olivia Helena Sanches

Montagem:
Cristian Chinen

Edição de Som:
Daniel Turini e Simone Alves

Trilha Sonora:
Tatá Aeroplano e Juliano Polimeno

Produção de Elenco:
Alice Wolfenson e Danilo Gambini

Versão completa

terça-feira, abril 19, 2011

Lagoinha assedia Regis Danese


Regis Danese quer se mudar para BH;
Naquela cidade em uma igreja ele quer congregar;

Na Lagoinha ele foi para ver;
Logo, por ele, a liderança resolveu interceder;

Nunca os vi receber um pobre assim;
Deles a igreja não é afim!

Pobre, por perto, ninguém quer...

Já o Danese , todos eles, quiseram acolher;
Afinal, o moço, muito pode render.

O que se passa na Lagoinha?
Uma favela dela é vizinha!

Seus moradores nunca no palco subiram,
para serem acolhidos.

Também, na favela, gravadoras eles não têm.

Que Igreja acolhedora,
Salve, Lagoinha intercessora!

Se Belo Horizonte fosse Roma, Lagoinha seria o Coliseu! Viva o pão e circo...

segunda-feira, abril 18, 2011

Levante-se por seus amigos gays, diga não ao bullying homofóbico


LEVANTE-SE

Se já te olharam feio por te acharem diferente;
Se você já foi agredido por ser você mesmo;
Se você se senti injustiçado por não poder declarar seu amor em público;
Se você tem medo de gritar ao mundo que o ama;
Se você tem medo de gritar ao mundo que a ama;
Se te chamaram de aberração;
Se já te chamaram de "viado", "bicha", "sapatão";
Se você já chorou e quis nascer diferente;
Se você foi rejeitado pelos seus pais;
Se você é apontado como o erro genético da família;
Se te dizem que você nunca poderá ter filhos;
Se te acham incapaz;
Se cospem no seu rosto e te acham marginal;
Se já te bateram;
Se já te feriram com palavras;
Se quando você chega se afastam;
Se já te levaram a igreja para tirarem o demônio de você;
Se os outros cochicham quando você passa;
Se eles tem vergonha de andar com você;
Se você quer ter os mesmos direitos de todos;
Se você conhece alguém que já sofreu violência;
Se tem um amigo que é gay, lésbica, bissexual, transexual ou travesti;
Se seu filho é gay;
Se seus pais são gays;
Se você é a favor da causa;
Se você acredita na liberdade;
Se você acredita no amor;

Todas as vezes que você fecha os olhos para uma agressão, você está contribuindo para que isso continue.

Levante-se! E não feche os olhos para homofobia.
Levantem-se! E deem as mãos a favor da igualdade.

#Souassim e me amo por isso!

domingo, abril 17, 2011

Amor gay: Adolescente se declara para outro na porta de escola



Belo Horizonte, capital das Minas Gerais, um dia como qualquer outro! Um dia de sol... As pessoas se levantam, cedo, vão para o trabalho, faculdades, escolas em geral e, foi numa dessas escolas (essas de adolescentes, ensino fundamental e médio), que o inesperado aconteceu.

Na sociedade heteronormativa, quando uma pessoa vai se declarar enamorado por outra, logo se pensa no homem se declarando para mulher, mas, nessa escola, a subversão foi total:

Saída de aula na Escola Guilherme de Azevedo Lage, o carro de som, desses que mandam correios elegantes, tocava no portão dos alunos. Celulares filmando, curiosos perguntavam: “o que é isso?” e a resposta era: “ deve ser aniversário de alguém!”, outros contudo, duvidavam: “não a mensagem lá é de AMOR!

Com as mentes atiçadas, e no desejo de saber quem se declararia para quem, que menina receberia o galanteio de seu amado, indagavam: “nossa, essa menina terá coragem de sair?”, mas, o cupido anunciava: “Quem aqui conhece o Michael?” As pessoas estranharam, ora é uma menina quem vai pedir! E elas comentavam entre si. A ordem estava invertida no conceito heteronormativo.

O cupido começou ler à carta; Michael do outro lado da rua; celulares apostos, filmando; a multidão estava ouriçada e, de repente... um homem apareceu com um bouquet nas mãos, diante de Michael, que apresentava certo constrangimento... A multidão se punha a gritar, delirar, ia a loucura, o homem entregou as flores e se ajoelhou. A multidão se excitava ainda mais, gritava: “beija, beija, beija...”, e ao sabor do inusitado, da subversão, DO ORGULHO de se ser o que é! Do não preconceito, Michael beijou seu amado, na porta de sua escola, diante da multidão que aplaudia alegre o encontro de dois corações que se amam.

Tudo isso aconteceu numa rua em Belo Horizonte, no Brasil. Quando não se tem preconceito, e nem vergonha a felicidade e a realização são mais presentes na vida do ser humano.

Viva o orgulho gay!

Aqui você pode assistir a cena do encontro de Michael e seu amado.



sábado, abril 16, 2011

Gospel LGBT no Facebook




Nosso querido amigo, e administrador deste blog e da lista Gospel LGBT, João Marinho, criou, no FACEBOOK, o grupo GOSPEL LGBT.

Aqui está o endereço do grupo, afilie-se!

sexta-feira, abril 15, 2011

Jovem de 16 anos mata namorada de irmã

Jovem de 16 anos confessa o assassinato da ex-namorada que se envolveu com a irmã dele

in

Após a reconstituição do assassinato da adolescente Adriele Camacho Almeida, 16 anos, morta no dia 13 de março em Itarumã, Goiás, o delegado apontou o irmão da namorada da vítima como autor do homicídio.

Segundo a polícia, a reconstituição foi absolutamente esclarecedora, pois os irmãos da namorada da vítima, sendo um de 16 anos e outro de 13 anos, relataram minuciosamente como o crime foi cometido.

O adolescente de 16 anos confessou ter matado Adriele por uma dívida de R$ 1.000 que ela teria com ele e por que a jovem teria lhe dado um tapa na cara. No primeiro depoimento, a irmã do adolescente disse que a família não aceitava o namoro homossexual.

Ainda ficou constatado que o pai dos adolescentes que está em prisão preventiva não teve participação no crime e o adolescente de 13 anos apenas ajudou o irmão a jogar a moto de Adriele em um rio.

Colômbia, gays e herança

Colômbia muda o Código Civil para dar direito à herança aos homossexuais


 

A Corte Constitucional da Colômbia decidiu por oito votos a um, que um homossexual tem direito à herança em caso de morte do companheiro.

A medida também vale para casais heterossexuais não legalizados.
A decisão anulou quatro artigos do Código Civil, que, de acordo com o órgão, ao restringirem o direito à herança, atentavam contra a liberdade e a igualdade.

Fonte Cena G

quinta-feira, abril 14, 2011

As várias faces da homofobia e da intolerância

gay

Recebi um e-mail, hoje, que me indicava dois vídeos no You Tube. Geralmente, quando recebo assim, não sou de dar muita bola não, até porque, costumam ser ruins. Entretanto, esses que me encaminharam valem os minutinhos gastos.

O programa Conexão Repórter do SBT fez um excelente documentário sobre a homofobia e o preconceito, e a história do Victor e sua família me comoveu. Aquele abraço dele com seu irmão Vinny, a chorar e dizer: “eu não sabia que te amava tanto, você é o meu amigo real!” trouxe uma coisa tão boa dentro do peito, um engasgo na garganta e as lágrimas na face, rolando, pois ali se cumpre o desejo de todos nós vermos, um dia, o Brasil em que todas as famílias terão orgulho de seus entes por aquilo que eles são: Filhos, filhas, irmãos, irmãs, pais e mães sem preconceitos!

Um dia em que a pessoa será valorizada não pelo fato de transar com A ou B, mas simplesmente porque é PESSOA!

Parabéns ao SBT, parabéns ao repórter Roberto Cabrini e equipe.

quarta-feira, abril 13, 2011

Gays ou Anticristos?

Líder de entidade homofóbica sugere chamar gays de anticristos
O amor dos cristãos é algo que toca à alma

O presidente da entidade americana Jovens Conservadores da Califórnia, sugere que a palavra gay deixe de ser usada.

A identidade gay não existe. Ser homossexual é só um capricho. Temos de parar de usar esse nome. Sugiro mudar o termo. Podemos usar atração pelo mesmo sexo, sodomia, vício não-natural, anticristos”.


Fonte: Cena G 

Homossexual é marcado no pulso por sua orientação

Universitário é "marcado" em ataque homofóbico dentro do campus


O estudante Quinn Matney, da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, teve seu pulso queimado por um objeto metálico em um ataque homofóbico ocorrido dentro do campus.

Quinn contou que caminhava pelo campus quando um homem agarrou seu pulso e o marcou com um objeto metálico quente, gritando palavras homofóbicas.

"Alguém agarrou meu pulso e apertou um pedaço de metal nele. E disse: ´esse é um gostinho do inferno, sua bicha´!". O estudante disse que afastou o agressor com um soco no rosto.

A polícia investiga o crime e já o considera um ataque motivado por homofobia.

Fonte: Cena G

terça-feira, abril 12, 2011

Louis Marinelli de antigay a defensor

Antigay muda de ideia e encerra luta homofobica Fonte: Cena G

Louis Marinelli era responsável pela página no Facebook da entidade americana Organização Nacional pelo Casamento.

Esta entidade lutava contra a união legal entre pessoas do mesmo sexo.
O rapaz, que era anti-gay, simplesmente mudou de idéia e agora defende a igualdade de direitos para LGBTs.

Uma das suas primeiras ações como novo defensor da comunidade gay foi fechar a página no Facebook da entidade, que tinha cerca de 219 mil seguidores.

Homofobia na UFMG: estudantes de Letras agredidos

UFMG Vista aérea: Campus Pampulha

Quatro estudantes gays teriam sido agredidos na última calourada do curso de letras da maior universidade de Minas, segundo denúncias. Segundo um jovem, ele levou tapas no rosto e seu companheiro, chutes. Um casal de mulheres teria sofrido agressões verbais.

O fato teria ocorrido na madrugada do sábado retrasado (dia 2), na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). A festa havia começado na noite anterior. Como de costume, mais de uma centena de pessoas festejava a chegada dos novos alunos do curso. As dependências do prédio da Faculdade de Letras (Fale) e jardins próximos ficaram tomados de alunos de vários cursos, segundo relatos.

A festa era frequentada por vários casais - gays e heteros. A abordagem repentina de um homem desconhecido da comunidade estudantil causou estranhamento nos alunos, já que ele, segundo informam os estudantes, demonstrava um comportamento homofóbico.

A primeira vítima do homem teria sido um casal de meninos que trocava beijos na festa. Um deles, estudante de ciências sociais, contou ter levado um tapa no rosto e, o outro, um chute. "Esse cara chegou e já veio separando a gente. Ele gritava: ‘isso é coisa de veado, não aguento mais isso’", informou um dos agredidos. O homem foi embora xingando. Nenhum dos agredidos reagiu.

Ao deixar a festa, o casal passou em frente ao prédio da Faculdade de Filosofia e Ciências Humana (Fafich), onde novamente teriam sido surpreendidos pelo mesmo homem. "Ele veio e me deu outro tapa, do mesmo jeito. Várias pessoas estavam passando e ficaram em choque", contou o aluno.

Grupo. Os ataques surpreenderam o estudante, que afirmou que o homem estava acompanhado de várias pessoas. "Foi tão de repente que fiquei sem reação. Jamais imaginei que isso pudesse acontecer na universidade", disse o jovem.

A UFMG foi procurada pela reportagem e informou que ainda não foi comunicada oficialmente. Hoje, uma carta-manifesto, redigida pela Assembleia Nacional dos Estudantes e assinada por centros acadêmicos, será levada à reitoria. O assunto vem sendo divulgado na internet.

Intolerância

Cartazes pediram respeito à diversidade

No mesmo dia em que houve o ataque homofóbico aos estudantes da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), vários cartazes foram afixados nas dependências da instituição defendendo o respeito à diversidade sexual. Nada disso, porém, foi suficiente para evitar a agressão.

Dentro da universidade, quem recebe os relatos de atos de violência contra gays e lésbicas é o Grupo Universitário em Defesa da Diversidade Sexual (Gudds). Segundo Daniel Arruda Martins, integrante do conselho, casos de violência homofóbica na universidade não são raros. "Agressões desse tipo aconteceram no passado e continuam acontecendo".

Segundo Martins, a reitoria da UFMG está ciente dos fatos. "Mas não vemos ações mais enérgicas, de cunho educativo", critica.

O Brasil é o país campeão no ranking de crimes homofóbicos no mundo, segundo pesquisa do Grupo Gay da Bahia (GGB) divulgada semana passada. Em 2010, houve aumento de 31,3% nas ocorrências, com 260 assassinatos. (RRo)

Fonte: O Tempo

segunda-feira, abril 11, 2011

Cidadania: torcida do Vôlei Futuro e a festa ROSA

Em 'festa rosa', Vôlei Futuro vence o Cruzeiro e força terceiro jogo na semi

dsc_0135

Os gritos, desta vez, eram de apoio. A cada passo que dava rumo ao saque, Michael ouvia o incentivo da torcida, que pintou de rosa o ginásio em Araçatuba. Dentro de quadra, os jogadores do Vôlei Futuro também entraram na campanha, com camisetas em homenagem ao companheiro no aquecimento, ataduras rosas nas mãos e até o uniforme acro-íris do líbero Mário Jr. A festa estava montada, e o Cruzeiro, que chegou a liderar por duas vezes, fez de tudo para estragá-la. No tie-break, contudo, o time da casa fez a alegria da torcida e se manteve vivo na Superliga com uma vitória dramática por 3 sets a 2 (19/25, 25/17, 21/25, 25/22 e 18/16).

dsc_0148 O resultado iguala a série semifinal e força a terceira e decisiva partida na próxima sexta-feira, às 20h30m. O jogo vale vaga na decisão, e o palco será o ginásio de Contagem, cenário do polêmico episódio em que Michael foi xingado pela torcida rival, criando um clima de tensão entre os clubes ao longo da semana.
O nervosismo que antecedeu o jogo entrou em quadra com os jogadores do Vôlei Futuro. No início da partida, o time de Araçatuba cometeu muitos erros e viu o Cruzeiro abrir na liderança. Michael, por exemplo, mandou na rede o seu primeiro saque, apesar dos gritos de incentivo da torcida. O time mineiro, do outro lado, parecia não se importar com a pressão vinda das arquibancadas. Ainda assim, a diferença no primeiro tempo técnico foi mínima: 8/7.
Na volta, o Vôlei Futuro empatou pela primeira vez a partida, em 10/10, após uma pancada do cubano Camejo. Os passes de William e os ataques certeiros de Wallace, porém, mantiveram a vantagem mineira. O time da casa tentou reagir, mas perdeu o primeiro set por 25/19.

Na mudança de lado de quadra, Ricardinho chegou a discutir com o técnico rival, o argentino Marcelo Mendez. O levantador avisou: “Agora, eu vou jogar”. Uma nova pancada de Wallace abriu o segundo set, mas o Vôlei Futuro realmente voltou melhor. Em uma boa bola de Camejo pela esquerda, o time de Araçatuba ficou pela primeira vez na dianteira do placar.

Com passes precisos, Ricardinho deixava a jogada pronta para os canhões de Lucão e Camejo. Foi a vez do Cruzeiro se perder em quadra. Sem reação, o time mineiro não conseguiu segurar o embalo do time da casa, que fechou o set em 25 a 17.

O terceiro set começou equilibrado. O Cruzeiro voltou a se encontrar no jogo e equilibrou as ações. Ricardinho, do outro lado, continuava a brilhar. Em um lance de categoria e esforço, salvou uma bola de cabeça. Na sequência, Mário Jr., que jogou com uma camiseta com as cores do arco-íris, símbolo gay, levantou para Dentinho marcar o ponto. Na primeira parada técnica, porém, o time mineiro saiu em vantagem, com 8/7.

A partida continuou equilibrada, mas, aos poucos, o Cruzeiro foi aproveitando melhor seus ataques. Assim, o time mineiro foi construindo a sua vantagem e foi com 16/13 no segundo tempo técnico. Um ace de Michael chegou a animar o time da casa e a diferença, que chegou a ser de quatro pontos, logo caiu para dois (21 a 19). Os visitantes, no entanto, retomaram o controle do jogo e fecharam em 25/21.

voleifuturo_michael_95

Ainda embalado pelo quarto set, o Vôlei Futuro abriu o tie-break voando, com 3/0 e os jogadores pulando a cada ponto como se fosse um título. O pedido de tempo do Cruzeiro deu uma esfriada no caldeirão e na força de Vissotto. Com três falhas do oposto e um ace de Douglas, os visitantes viraram para 4/3. O equilíbrio não saiu mais de quadra, e nenhum time conseguia abrir dois pontos.

Com Wallace no saque, os mineiros fizeram 13/12, mas uma deixada Lucão igualou o placar de novo em um momento crucial do jogo. O próprio Lucão foi para o saque, dificultou a recepção, e Camejo invadiu por cima da rede, mas arbitragem não marcou. Match point para o Vôlei Futuro.

Mas o Cruzeiro não se entregou e foi buscar o seu match point com um incrível bloqueio simples do levantador William. Os donos da casa viraram de novo, e o tie-break foi se arrastando como manda o figurino de um jogo decisivo. A vitória heroica veio no saque potente de Camejo, que encerrou a partida, manteve o Vôlei Futuro vivo na Superliga e fez explodir a festa rosa no ginásio.

Fonte: Gay1

domingo, abril 10, 2011

Homofobia: uma questão envolta na heteronormatividade social

g

Por João Marinho

O sexo entre homens tem uma longa história de condenações. Já foi considerado pecado, crime, doença, desvio, antinatural. Gays, sodomitas, homossexuais = pessoas que espalham doenças (nisso, ocorre até o impacto negativo do HIV/Aids). Isso penetrou no imaginário popular, como algo que não é desejado e que é contra a natureza ou os propósitos de Deus. Ainda hoje, as igrejas reavivam esse tipo de coisa – que está por trás de uma das principais origens da homofobia. O homofóbico não precisa ter dificuldades com sua sexualidade. Basta acreditar nas pregações dos pastores, padres, rabinos, xeques e de pseudocientistas.

A homofobia, infelizmente, é um valor histórico de nossa sociedade ocidental e de outras sociedades, não raro influenciadas pela primeira. Isso tem um peso. Existem até gays que são homofóbicos – e não são poucos! Somente recentemente é que se considerou a orientação sexual homossexual como não-problemática, e, ainda assim, não ocorreu o mesmo em todos os lugares ao mesmo tempo. Até o início do século 21, por exemplo, a China considerava a homossexualidade distúrbio. A própria OMS só deixou de vê-la assim nos anos 90.

Assim o "medo" de que a homossexualidade atenta contra a família é real. Nossa sociedade foi fundada na ideia de reprodução, judaico-cristã. Gays não se reproduzem, não geram filhos e nem netos e, portanto, não transmitem valores e tradição, pensam os homofóbicos. Isso já é mais que razão, para eles, de macular essa orientação sexual como algo indesejável. Muitas pessoas que supostamente têm uma relação boa com gays mudam de ideia quando o gay em questão é seu filho, por exemplo - e destilam homofobia.

Se nos atermos à questão da OMS, é demais pensar que, num espaço de apenas 20 anos, tudo mudaria como mágica. Até porque não são apenas os valores progressistas que se reproduzem: os valores conservadores e homofóbicos também! Desde crianças, já somos ensinados pelos adultos que "ser viado" é coisa ruim. Aos cinco anos, a maioria dos meninos já sabe xingar seus desafetos de "bichinha". Na escola, praticam bullying homofóbico. Não dá para esperar que, ao crescer, essa pessoa mude da água para o vinho. Ser não-preconceituoso é que é o difícil em nossa sociedade, e demanda esforço, busca de conhecimento, desejo de se abrir para o outro e capacidade de absorver e lidar com as diferenças. Para ser homofóbico, é só seguir a maré – e não precisa ter problema psicológico nenhum por detrás.

Existem diferentes graus de homofobia, mas há uma tendência atual em considerar homofóbico só quem agride de forma declarada, em geral, fisicamente. É um erro, pois mesmo que a pessoa não seja, “oficialmente”, a favor da agressão, caso tenha uma visão condenatória da homossexualidade, fica especialmente vulnerável a participar de uma agressão pelo "efeito manada" – e isso não tem nada a ver com problemas em sua sexualidade. Conversem com os rapazes que agridem gays fisicamente ou verbalmente, em grupo, e fatalmente alguns nem conseguirão dizer por que fizeram o que fizeram – e estavam “apenas seguindo o grupo” ou fazendo “o que todos fazem”. Embora existam homofóbicos que o sejam porque têm problemas de “enrustimento”, não se deve generalizar isso e adotar como regra e argumento-mor para explicar a violência contra gays e o preconceito. Para ser homofóbico, basta seguir os valores de nossa sociedade homofóbica. Nada mais. Em boa parte das vezes – arrisco-me a dizer, na maioria delas! – não é preciso questão psicológica adicional alguma...

sábado, abril 09, 2011

Neonazistas presos em manifestação pró- Bolsonaro

09_MHB_sp_estrelasninja

Manifestação em favor do deputado Jair Bolsonaro termina em tumulto e detenções na Paulista, em SP SÃO PAULO - A manifestação em defesa do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) realizada neste sábado na avenida Paulista, em São Paulo, acabou em confusão e detenções. O protesto foi organizado por grupos conhecidos como "ultradefesa", "união nacionalista" e "carecas". Eles afirmam defender os "direitos da família".

Onze manifestantes foram levados pela polícia para identificação e averiguação, após serem identificados por investigadores como suspeitos de outros crimes. O deputado envolveu-se em uma polêmica ao participar do programa 'CQC' e dizer que seus filhos não correm o risco de 'namorar negras'.  

Além disso, pedaços de madeira, metal e "estrelas ninja" foram apreendidos pelas autoridades, que policiaram a área e formaram um cinturão para evitar o confronto com um grupo de ativistas gays, que compareceram para denunciar a homofobia. O grupo anti-bolsonaro, com cerca de 50 pessoas, chamou o protesto de "racista" e "fascista". 

Além do policiamento em todo o trecho da Paulista, cerca de 30 policiais civis e militares, alguns à paisana, circularam no vão do MASP, onde o protesto aconteceu. De acordo com policiais que estavam no local após a dispersão da manifestação, oito pessoas foram identificadas por envolvimento em atividades sob investigação, que incluem a participação violenta em outros protestos de caráter racista ou homofóbico, inclusive no manuseio de artefatos explosivos. Um deles foi identificado como "Johnny". Outras três pessoas seriam do movimento anarquista e se recusaram a informar ou mostrar documento de identificação. 

No programa 'CQC', da TV Bandeirantes, no mês passado, Bolsonaro afirmou que não discutiria "promiscuidade" ao ser perguntado pela cantora Preta Gil, sobre como reagiria caso o filho namorasse uma mulher negra. Bolsonaro também disse, no programa, que os filhos dele não são gays porque tiveram uma boa educação.

Fonte: O Globo

Ricky Martin manda mensagem de solidariedade paras vítimas de Realengo

O cantor Ricky Martin usou o Twitter para mandar uma mensagem em solidariedade as vítimas da tragédia ocorrida na quinta-feira (07) numa escola municipal de Realengo, na Zona Norte do Rio de Janeiro.

"Meus sinceros pêsames as famílias envolvidas no trágico incidente que ocorreu hoje na escola Tasso da Silveira no Rio de Janeiro. Paz #Brasil", escreveu o cantor.

No massacre, o ex-aluno Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, entrou na escola e se apresentou como palestrante e disparou tiros contra alunos de 12 a 14 anos. Até o momento, 12 crianças morreram e cerca de 30 outras ficaram feridas.

O atirador foi ferido por policiais e, segundo a PM, se matou com um tiro na cabeça.
 

Neonazistas em favor de Bolsonaro

Neonazistas vão fazer manifestação em favor de Bolsonaro


Uma reportagem publicada nesta semana mostrou que o grupo White Pride World Wide (Rede Mundial do Orgulho Branco), que é neonazista, está ajudando a divulgar o ato a favor das idéias homofóbicas do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ).

A manifestação está marcada para acontecer neste sábado (09), em São Paulo.

Uma das frases postadas no espaço neonazista diz: “Vamos dar o nosso apoio ao único Deputado que bate de frente com esses libertinos e Comunistas!!! Será um manifesto Cívico, portanto, levem a família, esposas, filhos e amigos…

Cena G

sexta-feira, abril 08, 2011

Assassino do Realengo: uma história cristã

Wellington_thumb[2]

E de repente estava diante de um “pedaço de carta”, lia aquelas palavras como uma navalha penetrando em minha carne, rasgando... Atônito!

Tenho dois sobrinhos e não suportei o fato de imaginá-los numa situação desesperadora e, então, de súbito, voltei-me ao jovem; àquelas palavras, todo seu desespero, toda sua agressividade.

A sociedade se encontra passada, não há explicações... Talvez, antes, algo que acontecia nas terras de cima, lá no norte das Américas, agora, logo ali, no Rio de Janeiro! Aqui em baixo, próximo das nossas casas, perto dos nossos parentes; dos nossos filhos, sobrinhos, netos, amigos, amantes, sim, nas nossas escolas!

Ouvir dizer, na fila do banco, que aquele moço deveria ser enterrado com o capeta! Uma lagrima caiu de meus olhos, lembrei-me da carta. Poucas coisas nessa vida tem a capacidade de me impressionar, mas, essa carta... Puxa vida!

Sabe, já escrevi cartas e, em muitas delas, uma preocupação me movia: expressar o que se passava dentro do meu coração, na minha alma. Como ficar indiferente àquele pedaço de texto? Em uma tragédia, geralmente, as pessoas se indignam contra a aparente causa, o desafeto imediato: “aquele assassino, monstruoso!”, mas há uma carta!

Sim, um pedido de perdão, um grito de socorro, um desejo de alento: “Se possível, quero ser sepultado ao lado da sepultura onde minha mãe dorme. Minha mãe se chama Dicéa Menezes de Oliveira e está sepultada no cemitério Murundu”.

Cada palavra um punhal, mas não de um cruel assassino, o assassino não é ele! E não se estarreça com o que digo. Wellington não tinha antecedentes criminais, ele é tão vítima quanto às vítimas dessa tragédia. Vítima de algo que acontece no Brasil todos os dias, vítima de todos os domingos, vítima de programações de televisão, nas madrugadas, ou nos sábados pela manhã. Vítima da pureza, da santidade, da moral exacerbada, da hipocrisia dos falastrões: vítima da RELIGIÃO, do fundamentalismo, da esperança da ressurreição, de um Cristo justiceiro, de um Deus irado na justiça despótica, severo.

Alguém anunciou: “ele era muçulmano.”. Ei, pera lá! Muçulmano que acredita na ressurreição dos mortos, na segunda vinda do Cristo? Isso é coisa de cristão! Daqueles que passam o sábado ouvindo dizer da vitória de Cristo! Ou que passam as madrugadas buscando com quem falar; para alguém escutar!

Wellington foi vítima de um sistema religioso perverso, de preconceitos contra o próximo, de preconceitos contra si mesmo, preconceitos que ele adquiriu e, talvez, se pelo menos ele tivesse sua mãe por perto... Dela sentiu falta, pediu perdão, mas continuou, em nome de seu preconceito, vitimar os outros, como dele foi vítima. Não havia saídas... não havia escape! Ele já estava morto... Vitoriosos em Cristos mataram sua alma, o show da fé se transformou no circo de horrores, um pesadelo que se sonha acordado. Ele até quis falar, mas, como de praxe, fingiam que o escutavam, enquanto mais ódio e justiça de Deus eram colocados no seu coração. Mas, ele ainda pediu para que seu corpo fosse preservado puro, na esperança de, ainda, encontrar-se, na glória, diante do trono!

Há quem diga que isso foi alvo de possessão demoníaca! Ah Nicodemos! Bem que Jesus disse: "você tem que nascer de novo, rapaz!"

Essas são as marcas imediatas do que se conhece do fundamentalismo religioso, mas e as marcas que não são visíveis? Aquelas que ficam na alma? Deus tenha misericórdia de nós!

Por: Renato Hoffmann

quinta-feira, abril 07, 2011

Proteja o Brasil do Bolsonaro

Bol

O Avaaz.com lançou uma campanha virtual, que tem por objetivo recolher assinaturas, e encaminhá-las à Câmara dos Deputados e para presidente Dilma Rousseff contra as manifestações racistas e homofóbicas do deputado federal Jair Bolsonaro.

No início, o alvo era recolher 75 mil assinaturas, mas como foi atingido, tal propósito, em tempo satisfatório, os organizadores estenderam o número para 100 mil assinaturas. Vale lembrar que o deputado supramencionado se caba de ter conquistado 80 mil votos em sua eleição para o Congresso Nacional.

Até o momento em que escrevo este post 78.878 assinaturas foram recolhidas, e gostaria de convidá-lo a unir-se a nós nessa manifestação clicando no link e assinando a petição virtual:

PROTEJA O BRASIL DO BOLSONARO.

quarta-feira, abril 06, 2011

Comitê Desportivo GLS Brasileiro manifesta apoio a Michael

O atleta do Vôlei Futuro, Michael, assumiu que é gay e, por isso, o Comitê Desportivo GLS Brasileiro aprovou a coragem do rapaz, manifestou seu apoio e repudiou o preconceito sofrido por ele.

Em nota oficial, a entidade ressaltou que o tabu da homossexualidade é pouco difundido em círculos esportivos e que a iniciativa do jogador contribui para amenizar este cenário.

Vale lembrar que o Vôlei Futuro decidiu enviar um relatório à Confederação Brasileira de Vôlei e ao Supremo Tribunal de Justiça Desportiva relatando o ataque homofóbico. Após a confusão, o jogador decidiu assumir a homossexualidade.

Cena G

Enquanto isso na Polônia…

Na Polônia, deputado foi expulso do partido por fazer piada homofóbica

Na Polonia deputado foi expulso do partido por fazer piada homofobicaFonte: CENA G 

O Partido Plataforma Cívica expulsou o deputado Robert Wegrzyn por causa de uma piada com homossexuais e por ter criticar o segmento.
A frase infeliz do parlamentar foi dita quando o parlamentar estava respondendo questões sobre o casamento homo.

Podemos esquecer dos gays, eu gostaria de ver as lésbicas.”
Em outro momento, Wegrzy disse que homossexuais não deveriam se mostrar socialmente.

Se alguém quer viver de forma diferente, é problema dele, ele não deveria se mostrar.”

terça-feira, abril 05, 2011

Michael do Vôlei Futuro assume: “sou gay!”

Após ofensas, Michael diz: 'Sou gay. Todo mundo aqui sabe quem sou'

 

Meio de rede afirma que dirigentes do Vôlei Futuro ficaram assustados com situação na partida com o Cruzeiro pelas semifinais da Superliga Masculina

Por Helena Rebello - Rio de Janeiro

Globo Esporte.com

michael-volei-futuro470 Diante da polêmica do confronto entre Vôlei Futuro e Cruzeiro, em que o clube paulista reclamou de problemas de segurança, superlotação e comportamento preconceituoso da torcida local, Michael, alvo das ofensas, resolveu se posicionar. O meio de rede da equipe de Araçatuba conversou abertamente com o GLOBOESPORTE.COM sobre sua opção sexual, lamentou as manifestações homofóbicas da torcida adversária e disse esperar mudanças.

O que aconteceu exatamente em Contagem? Já tinha passado por uma situação semelhante antes?
- No jogo em Contagem teve uma manifestação da torcida gritando “bicha”, “gay”, todas essas coisas. Já tinha acontecido casos isolados de algumas pessoas gritarem pelo clima do jogo. Mas nem escuto, deixo passar porque é ignorância. Mas foi um coro, senhoras, crianças e mulheres gritando, já num clima preconceituoso mesmo. Hoje resolvi falar para que isso não aconteça mais, não só comigo, caso futuramente eu vá lá jogar de novo, se tivermos o terceiro jogo (pelas semifinais da Superliga). Igual lá, nunca aconteceu. Até por isso que resolvi falar, fazer uma manifestação.
Você acredita que esse episódio atrapalhou o seu rendimento em quadra? Te desconcentrou?
- Desconcentrar não me desconcentrou, mas a situação me deixou constrangido. Pensei sobre o que estava acontecendo. Eu nem olhava para a torcida. Quem me vê jogando sabe que eu nem olho. Foi uma manifestação por causa do meu jeito. Mesmo depois de me xingarem, não bati boca com ninguém, fui direto para o vestiário, poderia ter retribuir, mas não fiz.

Michael Volei Futuro  (Foto: Divulgação/CBV)A comissão técnica e os outros jogadores falaram com você sobre isso após o jogo? Ou você externou isso?
- No vestiário falei que estava chateado. Os dirigentes vieram falar comigo também. Estavam escandalizados. Todo mundo ficou preocupado com o que eu estava sentindo. Lógico que não estava feliz.

Você tem algum problema em falar sobre a sua opção
sexual?
- Sou gay, mas isso não precisa ser comentado. Todo mundo aqui sabe. Lógico que nunca cheguei a assumir. Eu sou o Michael. Todo mundo sabe quem eu sou. Eles me respeitam totalmente no time. Não só aqui, mas nos 10 anos que joguei no São Bernardo. Todos os times me trataram bem.

Podemos publicar isso? Que você é mesmo gay?

- Sim. Nunca cheguei e falei “sou gay” porque não tem necessidade. Todo mundo sabe. Não tenho necessidade de sair divulgando.

Você tem medo que, de alguma forma, suas declarações tenham efeito contrário e aumentem mais ainda o clima hostil para a próxima partida e futuros jogos em Minas?
- Se tiver um efeito reverso, pelo menos estou fazendo algo para mudar. Pelo menos não me calei diante dessa situação. Não gostei do que houve comigo e não gostaria que acontecesse com ninguém. Muita gente ficou sensibilizada e veio falar comigo.

O Vôlei Futuro está tomando providências jurídicas?

- Não sei como vai ser feito, nem perguntei direito. Mas o clube vai me informar quando estiver tudo resolvido.
Sobre as reclamações do clube sobre segurança, superlotação, segurança bêbado: você viu isso?
- Eu fui direto para o vestiário e não prestei muita atenção, mas realmente parecia que tinha uma superlotação.

E como está sua preparação para o jogo de sábado? Está conseguindo se concentrar ou ficou abalado?

- Estou bem. Estamos treinando direto com o time forte. Muita gente que acompanha o vôlei está dando o maior apoio. Realmente fiquei assustado com a situação. Uma coisa é torcida, outra é uma aglomeração te xingando, apontando o dedo. Abalado não estou. Como atleta tenho que enfrentar, lidar com isso.

Vôlei Futuro e Cruzeiro se enfrentam às 10h deste sábado no segundo confronto da semifinal da Superliga Masculina de Vôlei, com transmissão ao vivo da Rede Globo. Como venceu o primeiro duelo por 3 sets a 2, a equipe mineira precisa de apenas mais uma vitória para se classificar para a decisão. 

Marcelo Tas e o orgulho de sua filha gay

Assistia, ontem, ao programa CQC, pois sabia que o caso BOLSONARO iria render. Obviamente, esse caso específico, chamou-me a atenção pelas peculiaridades que ainda exporei em um artigo.

01-CNG Já era bem avançada a hora, quando, então, fiquei emocionado com o âncora, Marcelo Tas, que em um ato de indignação e confronto aos comentários de BOLSONARO, de que os filhos se tornam gays por não terem pais presentes, segurou a foto de sua filha, e disse: "Esta é minha filha Luiza, ela é GAY e eu tenho muito orgulho de ser pai desta menina!".

Fiquei orgulhoso de ver o orgulho do pai Marcelo por sua filha, e sua declaração de amor e carinho em público, sem o menor constrangimento contra todo o rancor e instigação ao ódio e violência levantados pelo BOLSONARO e Marco Feliciano na última semana. A atitude do Tas foi ímpar no cenário nacional, onde, às vezes, nem só os gays se escondem, mas as famílias dos gays sentem vergonha, ridículo e constrangimento com os filhos, irmãos, irmãs, tios, sobrinhos, etc. por conta de suas orientações neste país em que tudo é camuflado, inclusive a pequenez das pessoas e suas limitações (digo do preconceito).

Marcelo Tas, ontem, ao vivo, foi um gigante que contra a maré, e toda a tendência nacional, rasgou o peito e disse: “MINHA FILHA É GAY E EU ME ORGULHO DELA!”. Nesse momento, Tas encarnou em si o desejo de todo filho gay, que quer escutar a sua família dizer o mesmo. Todo sentimento massacrado, espezinhado, sofrido dos gays ganhou contorno, no Brasil, e pôde ser ressignificado, quando o estigma da desonra foi combatido por um pai ao mostrar sua filha gay em rede nacional e expressar ORGULHO por ela, por aquilo que ela é.

Parabéns Marcelo Tas, obrigado CQC!

segunda-feira, abril 04, 2011

Suspeito de matar travesti na avenida Afonso Pena é preso

diminuator.php

Foi preso nesse sábado (2), Fernando Túlio Miranda Lage, de 24 anos, conhecido como Pimpolho. Ele foi encontrado em Guanhães, na região do Vale do Rio Doce e é suspeito de ter assassinado o travesti Gustavo Brandão Aguilar, 22, no dia 2 de março, na avenida Afonso Pena, esquina com Piauí, no bairro Funcionários, região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Pimpolho tem envolvimento com o tráfico de drogas e teria executado a vítima por causa da disputa por ponto de venda de entorpecente. Segundo a Polícia Civil, ele ainda é acusado de outros sete homicídios, entre 2005 e este ano.

O outro suspeito é um adolescente de 17 anos, apontado como principal comparsa de Pimpolho. Um terceiro homem também pode estar envolvido no crime, mas sua identidade não foi revelada.

Um dos elementos que ajudaram a polícia a identificar os suspeitos foi o circuito de filmagem de um prédio residencial que fica próximo ao local do crime.

Ainda nesta manhã, Pimpolho será apresentado no Departamento de Investigações do bairro Lagoinha, onde serão dados maiores detalhes sobre a prisão.

Por FELIPE REZENDE
Siga em: twitter.com/OTEMPOonline

sexta-feira, abril 01, 2011

Papa receberá delegação gay em encontro

Papa vai se reunir com entidade gays em setembro
Pela primeira vez na história do catolicsmo, um Papa vai se reunir com uma entidade de defesa dos direitos LGBT.
No dia 22 de setembro, o Papa Bento 16 confirmou que vai receber a Associação Lésbica e Gay de Berlim-Brandemburgo, durante uma visita à Alemanha.
Esta representa a primeira tentativa de aproximação da Igreja com o movimento LGBT.

Fonte: Cena G
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...