segunda-feira, abril 19, 2010

Ricky Martin: Sua paixão brasileira

Em 1999, Ricky Martin concedeu uma entrevista a Renata Ceribelli, no “Fantástico”, em que revelava ter vivido uma grande paixão, três anos antes, no Brasil. “Aconteceu no carnaval. Foi uma menina, uma história de amor que me fez louco com seu jeito de dançar...”, disse, em seu “portunhol”. No entanto, não tratava-se de uma moça, mas sim de um rapaz que conhecera na quadra da Portela. Na época, André Santos tinha 23 anos e era ritmista da escola de Madureira.

Fotos de Arquivo Pessoal

Inicialmente, Ricky pediu para que o rapaz levasse fãs para uma festinha no Copacabana Palace regada a muito champanhe. No meio da noite, o cantor se declarou para André. E o jovem, que morava em Olaria, subúrbio da Leopoldina, passou a viver dias de luxo e riqueza na suíte do hotel mais tradicional da cidade.

Quando deixou o Brasil, Ricky prometeu levá-lo para os Estados Unidos. Dito e feito. Foram mais de 10 viagens internacionais. André registrou alguns momentos da viagem posando ao lado de uma das limousines do cantor. “Quando saíamos, íamos em limousines separadas”. André pode conviver com um Ricky que poucos conhecem. “Ele é bem simples, alegre, brincalhão, passava boa parte do tempo vendo desenho animado e jogando video-game”

André ao lado de uma das limousines do astro e na frente da mansão de Ricky

Depois de alguns anos, o afastamento foi inevitável. Principalmente por conta do medo de uma exposição pública de sua vida particular. “Ainda hoje nos falamos por telefone. Eu ligo pro celular dele a cobrar. Ficou uma grande amizade”, disse. Com o tempo, a vida de André seguiu novos rumos. Hoje ele é casado com uma mulher.

O vídeo de Ricky Martin no "Fantástico" aparece a partir de 1:34 segundos do vídeo


Fonte: Globo.com

sábado, abril 17, 2010

Entre Homens- Sessão de Cinema

eh

Demorou, mas aconteceu! Na próxima segunda-feira, prepare sua pipoca, porque a primeira sessão de cinema do Entre Homens em 2010 está chegando!

E, no próximo dia 19/04/2010, o filme escolhido é:

box

Boy Culture retrata a saga do garoto de programa X. X vive em um apartamento com Andrew e Joey e é apaixonado por Andrew. Joey, um adolescente inconsequente, é apaixonado por X – e, assim, os colegas de apartamento formam um tórrido triângulo amoroso. Enquanto isso, X segue passando por provações e contratempos e encontra um senhor, Gregory, que se torna seu fiel cliente e mentor e com quem o michê acaba por se envolver emocionalmente. O filme abriu o 14º Festival Mix Brasil, em 2006, e foi sucesso de público.

Direção: Q. Allan Brocka
Ano: EUA, 2006
Duração: 88 min
Elenco: Derek Magyar, Darryl Stephens, Jonathon Trent, Patrick Bauchau.

Não perca!

A entrada é FRANCA, e vai ter pipoca. Mesmo!

Quando
Segunda-feira, 19/04/10, 19h30
Onde

1

Rua Santa Isabel, 198 - São Paulo, SP, perto do Metrô República. Travessa da Amaral Gurgel, uma depois da Marquês de Itu.
Telefone: (11) 3337-2028. www.upgradeclub.com.br
* tocar a campainha para entrar
* o bar estará aberto para os presentes

Quem
Homens e mulheres, gays, héteros, bis, unis, trans, de todas as orientações, preferências e identidades.
Sobre o Entre Homens
Gerenciado por Murilo Sarno, o Projeto Entre Homens visa a refletir, numa roda de conversa livre e espontânea, temas relacionados ao universo gay masculino.
Contato para a imprensa:
João Marinho - MTB 42048/SP
Tels.: +55 11 9775-8893, 3217-2640

jm@joaomarinho.jor.br
Fique de olho nas próximas reuniões!
03/05: assumindo no trabalho;
17/05: quadrinhos gays;
31/05: união homossexual.

sexta-feira, abril 16, 2010

Argentina: Cena de amor gay em novela

a

Enquanto a Rede Globo de Televisão, no Brasil, censura um beijinho gay em sua teledramaturgia, a Argentina, através da TELEFE, emissora de maior audiência do país, não apenas EXIBE o beijo gay, como também EXIBE 2 MINUTOS DE CENA DE ROMANCE GAY. Deixando a emissora brasileira para trás, e despontando na frente, na América Latina, como canal consciente da realidade social. As cenas dizem por si só, enquanto a GLOBO, aqui, não toma coragem, o jeito é pegar carona na produção dos Hermanos! CONFIRA e babe:

 

quinta-feira, abril 15, 2010

Ricky Martin aparece nu em clipe promocional

Ricky Martin publicou um clipe de divulgação da sua nova turnê, nesta quinta-feira (15), no Twitter. "Dirigido pelo meu amigo Dago Gonzales, para a minha nova turnê Black & White", disse o cantor no microblog.

12

No vídeo, chamado "My skin talks", o cantor que recentemente assumiu sua homossexualidade, aparece completamente nu, exibindo sua excelente forma física e, conforme se movimenta, diversas tatuagens aparecem em seu corpo.

Confira o vídeo:

Fonte: Globo.com

Racismo e intolerância no futebol

Zagueiro colombiano do Boca chora ao revelar ter sido vítima de racismo em jogo

Episódio envolvendo Bonilla, companheiro de Luiz Alberto, teria ocorrido na derrota diante do Colón, por 3 a 0, em Santa Fé.

0,,40138972-DP,00

O zagueiro colombiano Breyner Bonilla, do Boca Juniors, afirmou que o atacante Esteban Fuertes, do Colón, o ofendeu de forma racista durante a partida entre as duas equipes pelo Torneio Clausura argentino.

- Negro de m..., volte para a África, seu morto de fome - teria dito Fuertes no fim do primeiro tempo, após uma disputa de bola entre os jogadores, relatou Bonilla à emissora de rádio "La Red" e à rede de televisão "TyC Sports".

Bonilla, que faz dupla de zaga com o brasileiro Luiz Alberto, também negro, chegou a chorar ao relatar o problema em entrevista de TV.

- Fiquei quieto para não entrar no jogo dele. Pensei que ele queria me provocar para me tirar da partida - acrescentou o zagueiro colombiano, que também disse que outro jogador da equipe de Santa Fé o teria ofendido.

Bonilla foi expulso aos 44 minutos do segundo tempo por uma forte entrada no meia Facundo Bertoglio no duelo pela 13ª rodada do Clausura. O Boca perdeu por 3 a 0 e seu então treinador Abel Alves pediu demissão.

O colombiano disse não ter denunciado as ofensas quando depôs ao Tribunal Disciplinar da Associação do Futebol Argentino (AFA) sobre sua expulsão, apesar de não ter descartado fazer uma denúncia por racismo.

Fontes: Globo.com

Mistério de Rimbaud

Tema de ensaio biográfico de Edmund White

O nome do poeta francês Arthur Rimbaud (1854-1891) é conhecido até por quem nunca leu uma estrofe sequer sua. Mais que um escritor, ele é um mito, e razões não faltam para isso. As principais delas, o fato de ter parado de escrever aos 21 anos e ter terminado seus dias como negociante de armas na África, e o escandaloso romance com o também poeta Paul Verlaine, casado e dez anos mais velho. Este adolescente tão brilhante quanto rebelde, que abandonou a literatura para viver nos confins de um continente selvagem, é tema de "Rimbaud: A Vida Dupla de um Rebelde", do americano Edmund White.

Divulgação

É um livro curto, com menos de 200 páginas, que o próprio autor classifica como "ensaio biográfico". Não há pretensões de criar um retrato abrangente ou detalhado de Rimbaud, até porque tudo que White escreve já foi contado em outras biografias mais completas que essa (algumas, inclusive, lançadas no Brasil, como "Rimbaud na África", de Charles Nicholl). Por que ler este livro, então? Porque White escreve pouco, mas escreve bem. O essencial da vida de Rimbaud está elegantemente narrado nessas duas centenas de páginas.

Boa parte do livro é dedicada à relação entre Rimbaud e Paul Verlaine. Quando os dois se conheceram, Verlaine era um poeta consagrado e Rimbaud, um desconhecido de 17 anos. Os dois logo iniciaram um romance, que levou Verlaine a abandonar a mulher e o filho. Foi uma

relação tumultuada, marcada por altas doses de álcool (ambos eram consumidores habituais de absinto) e brigas constantes. O romance terminou depois que Verlaine, ameaçando se matar, atirou em Rimbaud e atingiu-o na mão. Enquanto um foi condenado a dois anos de prisão por tentativa de homicídio, o outro abandonou a literatura.

Na época, o escândalo abafou a literatura de Rimbaud. Logo após a condenação de Verlaine, ele publicou seu primeiro livro, "Uma Temporada no Inferno". A obra, hoje considerada um dos alicerces da poesia moderna, na época foi ignorada. Rimbaud, então com apenas 21 anos, desistiu da literatura. Alternou épocas na Alemanha e na Itália, onde tentou sobreviver como tradutor, com longas temporadas na propriedade de sua família no norte da França. Aos 26 anos, mudou-se para a África e lá morou até morrer aos 37 anos, vítima de um tumor na perna. Nunca mais voltou a escrever.

( Foto: Arthur Rimbaud aos 17 anos, 
por:  Étienne Carjat)

White narra essa vida tumultuada de forma ao mesmo tempo próxima e distanciada. Ele é distante quando conta os fatos como quem comenta uma história que o leitor já conhece, comparando versões e desfazendo mitos (Rimbaud, explica, nunca foi traficante de escravos na África). Mas, quando o assunto é a obra do poeta, White muda de tom e fica mais pessoal. Especialmente no ótimo primeiro capítulo, em que ele conta como os poemas de Rimbaud o afetaram quando ele era um adolescente em conflito com sua homossexualidade, no meio-oeste americano dos anos 50.

O livro só não crava uma resposta para a pergunta: por que Rimbaud parou de escrever? A imagem do gênio que abandona sua arte por livre e espontânea vontade é forte e ajudou a alimentar o mito, mas talvez não seja verdadeira. White arrisca algumas explicações: em vida, Rimbaud nunca foi visto como um grande poeta, e essa falta de reconhecimento pode tê-lo levado a desistir; sua "vida de poeta" também estava ligada a um escândalo (o romance com Verlaine), incompatível com a "imagem respeitável" que ele desejava. Mas ele sempre deixa claro que são apenas hipóteses – a verdade continua um mistério.

"Rimbaud: A Vida Dupla de um Rebelde"
De Edmund White
Companhia das Letras
192 páginas
Preço sugerido: R$ 35

Fonte: IG

Fernando Fernandes faz o primeiro ensaio como modelo após o acidente

Fonte: Globo.com

Fernando Fernandes faz seu primeiro ensaio como modelo após o acidente de carro, em julho do ano passado, que o deixou paraplégico. O ex-BBB (foi ele quem enfrentou a surtada Tina na segunda edição do programa) tirou fotos para a revista gay “A capa”, num belo exemplo de vida e superação. Aos 29 anos, mesmo com as limitações físicas, ele dará continuidade à carreira de modelo.  “É preciso respeitar a individualidade e as diferenças”, diz ele, na entrevista.

 

328_1426-fe1 

328_1426-fe2 328_1426-fe4

328_1426-fe3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

328_1426-fe5

Próximo bispo de Utah pode ser gay e casado

810663A diocese episcopal de Utah tem o cargo de bispo titular vago desde 1996, que era ocupado por Carolyn Tanner Irish. Porém, o processo de substituição está no fim e há quatro candidatos que disputam a vaga, entre eles um que é abertamente gay e casado com outro pastor: Michael L. Barlowe.

As últimas eleições da igreja episcopal norte-americana dão a entender que Michael pode ser o escolhido, senão vejamos: em 2003, no estado de New Hampshire, foi eleito Gene Robinson, abertamente gay e que também é casado; mais recentemente, foi eleita para bispa auxiliar da arquidiocese de Los Angeles uma lésbica, Mary D. Glasspool, que, assim com os demais pastores gays, mantém um relação há tempos.

Sendo assim, Michael L. Barlowe pode ser o terceiro bispo gay a ser eleito pela Igreja Episcopal dos Estados Unidos. A eleição será realizada no dia 22 de maio.

Fonte: A Capa

terça-feira, abril 13, 2010

Fora do armário: Estrela da música gospel declara ser lésbica

knapp3

LOS ANGELES - Uma estrela ascendente no cenário da música cristã americana está chamando a atenção pública com uma nova identidade, após uma ausência misteriosa de sete anos. Jennifer Knapp não apenas está lançando um novo álbum como está "saindo do armário", termo que a cantora e compositoraindicada ao Grammy considera "muito bizarro" neste momento em que ela relança sua carreira musical, com certo nervosismo.

A cantora de 36 anos, natural do Kansas e que saía com homens em sua época de faculdade, está preparada para uma reação negativa por parte de fãs religiosos que, ao longo dos anos, sempre fizeram questão de desmentir rumores sobre sua sexualidade. Mas ela reage às provocações com bom humor. "Ando ganhando muito mais piscadelas de garotas (em seus concertos) do que no passado!", disse à Reuters.

Não há registros de outra cantora tão famosa quanto Jennifer no gênero da música cristã que seja abertamente homossexual. No passado, a indústria musical cristã desaprovava os artistas que se desviavam do padrão. Rádios e lojas no varejo se apressaram a abandonar Sandi Patty e Michael English nos anos 1990, quando ambos admitiram terem tido casos extraconjugais (separados). Amy Grant também foi parar na lista negra quando se divorciou, mais tarde na mesma década. Todos foram perdoados desde então, em maior ou menor grau.

Por isso, Jennifer Knapp está adotando uma postura preventiva. Ela gravou um álbum para o grande público e não está tentando promovê-lo especificamente junto a rádios e varejistas cristãos. "Eu acharia uma falta de respeito dizer 'ei, isto é algo que você vai querer colocar na sua loja ao lado da estatueta de Jesus'", disse ela. "Seria falsa ingenuidade tentar convencer alguém de que precisa fazer isso."

Mesmo assim, Knapp se considera "uma pessoa de fé" e rejeita a sugestão de que esteja dando as costas à igreja, acusação que prejudicou artistas como Sam Cooke e Aretha Franklin quando eles deixaram o gospel para trás para buscar o estrelato pop.

Como artista para o grande público que quer se promover no nicho de álbuns adultos alternativos - ao lado de gente como o U2 e a também lésbica Melissa Etheridge -, foi sugerido a Jennifer que, depois de "renascer em Cristo", ela tenha renascido mais uma vez. "Talvez eu devesse ter dado esse título ao álbum", disse ela, que acabou optoando por "Letting go". O álbum será lançado em 11 de maio através da distribuidora independente RED, pertencente à Sony Music. Será seu quarto álbum, e o primeiro desde "The Way I Am", de 2001, que recebeu uma indicação ao Grammy de melhor álbum de rock gospel.

Desde seu álbum de estreia, "Kansas", de 1998, Knapp já vendeu cerca de 1 milhão de álbuns. Ela viajava constantemente em turnê e fez parte da turnê Lilith Fair 1999. Recebeu quatro Dove Awards, os prêmios mais importantes da música gospel.

Mas, cada vez mais exausta e desanimada, Knapp foi viver a fantasia de muitas pessoas que trabalham demais: abandonou tudo e foi viajar pelo mundo. Ela terminou na Austrália, tornou-se cidadã desse país e agora pretende passar a maior parte de seu tempo ali.

Durante o período que passou longe dos holofotes, a cantora passou por uma espécie de crise da meia-idade precoce que a levou a reavaliar sua fé, sua sexualidade e seu trabalho. Fazer música era a última de suas preocupações. Antes de conhecer sua namorada, nos Estados Unidos, ela foi celibatária durante dez anos. Jennifer disse que isso condiz com a expectativa geral em relação aos membros não casados da comunidade evangélica.

Embora diga que ainda respeita as pessoas que se abstêm do sexo não conjugal, ela disparou: "Qualquer pessoa que tenha passado uma década celibatária tem 'perdedor completo' estampado em suas costas".

Apesar das atenções voltadas para sua nova identidade sexual, Jennifer não se vê como ativista na comunidade gay. Ela protege com firmeza sua privacidade e a de sua namorada, "que não quer ser famosa de nenhuma maneira".

Embora seja inevitável que os fãs estudem as canções em busca de pistas sobre sua nova vida amorosa, Jennifer afirmou que nunca compõe canções sobre pessoas específicas. Mesmo assim, ela fala com franqueza no primeiro verso da faixa "Inside": "Sei que vão me enterrar antes de ouvirem a história inteira".

"Espero que essa contestação seja vista como humildade", ela explicou. "Se existe alguma frustração, é por tentar romper com cortesia o jugo de ter que ser algo que não consigo, dizendo com toda humildade: 'Por favor sejam gentis comigo quando descobrirem a verdade'. É tudo o que você pode fazer."

Fonte: O Globo

Cardeal é pressionado a provar suposto elo entre homossexualidade e pedofilia

0,,40047264,00

Número 2 do Vaticano descartou que abusos tenham relação com celibato.
Especialistas contestaram seus argumentos nesta terça (13).

Autoridades, médicos e movimentos de defesa de grupos homossexuais no Chile pediram ao secretário de estado do Vaticano, Tarcisio Bertone, que prove as ligações da homossexualidade com a pedofilia, como afirmou na véspera em Santiago.

"Eu não tenho essa opinião, gostaria de conhecer os estudos científicos que ele diz ter. Tenho uma grande estima pelo Cardeal Bertone, mas tenho a sensação que neste caso ele está equivocado", afirmou o senador democrata-cristão Patricio Walker.

Estudei o tema, não sou psiquiatra, mas advogado. No entanto, já apresentei muitos projetos contra a pedofilia, que agora viraram lei. A pedofilia é um transtorno mental de caráter sexual que afeta tanto homossexuais como heterossexuais", comentou.

"Essa ligação foi desacertada. O celibato causa mais danos a um ser humano que a condição de homossexualidade, opção tomada livremente. Estou constrangido com as palavras deste alto dignatário da Igreja", afirmou por sua vez o deputado comunista Hugo Gutiérrez à AFP.

"A gente nunca vai parar de se surpreender com as declarações dessas pessoas. A Igreja deveria ser mais bondosa e caridosa com os homossexuais, em vez de ficar atribuindo pecados a eles", completou.

O líder do Movimento de Integração e Libertação Homossexual (Movilh), Rolando Jiménez, também exigiu que o cardeal mostrasse provas que justificassem suas afirmações.

Especialistas médicos também descartaram a ideia. "Não me parece possível pensar que haja uma relação direta entre o homossexualidade e a pedofilia", disse a professora da Universidade do Chile Tamara Galleguillos.

Galleguillos afirmou que durante seu trabalho no Serviço Médico Legal do Chile "os heterossexuais pedófilos eram vistos de forma igual aos homossexuais pedófilos, não eram diferenciados".

Na segunda-feira, durante coletiva de imprensa, o número dois do Vaticano afirmou que a pedofilia entre os sacerdotes tem mais a ver com a homossexualidade que com o celibato.

"Muitos psicólogos e psiquiatras demonstraram que não há relação entre celibato e pedofilia, mas muitos outros demonstraram, e me disseram recentemente, que há relação entre homossexualidade e pedofilia. Isso é verdade, esse é o problema", completou.

Bertone anunciou que o Vaticano tomará novas iniciativas surpreendentes contra a pedofilia. "Não posso antecipar, mas outras iniciativas estão sendo pensadas", disse o cardeal.

Fonte: Globo.com

LGBT: Repudiation of Vatican statements

vaticano

OFFICIAL ABGLT POSITION ON VATICAN STATEMENTS ABOUT HOMOSEXUALITY

ABGLT – the Brazilian Lesbian, Gay, Bisexual and Transgender Association – is a national network, founded in 1995, currently having 237 member organizations throughout Brazil. Its mission is to defend and promote the citizenship of these segments of the population. ABGLT is also active on the international scenario and has consultative status with the United Nations Economic and Social Council.

In the face of the statement made by the Vatican’s Secretary of State, Cardinal Tarcisio Bertone, this Monday (12/04/2010) that it is “homosexualism” (sic), and not celibacy, that should be related to pedophilia, ABGLT publicly manifests itself as follows:

In its by-laws, ABGLT makes it clear that it is against pedophilia, regardless of the sexual orientation of gender identity of those who practice it, whether they be heterosexual or homosexual. During its 1st Congress, held on January 20th to 24th 2005, in Curitiba, Paraná, Brazil, ABGLT decided in favour of the defence of the Secular State and against the sexual exploitation and abuse of children and adolescents. It is ABGLT’s understanding that pedophilia is a disorder, as per the International Classification of Diseases 10 - F65.4: 302.2, and that the sexual abuse of children and adolescents is a crime. ABGLT has a permanent campaign on its website against pedophilia and the sexual abuse of children and adolescents: http://www.abglt.org.br/port/luta_pedofilia.php;

Many studies on pedophilia and the sexual abuse of children and adolescents indicate that the majority of these crimes is perpetrated by heterosexual people, without this implying that heterosexuality causes pedophilia. The issues relating to pedophilia itself are very complex and cannot be reduced to a simplistic differentiation based on the sexual orientation of the aggressors. What does arise as a tendency in the studies is that the crimes are committed by people who are close to, hold authority over and count on the trust of the underaged, such as parents, relatives, priests;

ABGLT does not accept this provocation by the Vatican against Lesbian, Gay, Bisexual and Transgender (LGBT) people, which is nothing more than an attempt to draw attention away from the more important problem that proliferates within the bosom of the Catholic Church, and which undoubtedly should be explained and clarified to society in general;

ABGLT defends the Secular State and understands that religious freedom does not give the Vatican the right to judge with its own laws its peers who abuse children and adolescents. ABGLT maintains that ordained people who commit the crime of sexual abuse of children and adolescents, in addition to receiving due healthcare, must be subject to the penalties provided for by secular laws, in the same way as the rest of the population. As such, ABGLT joins other human rights organizations and demands that the Vatican provide an explanation regarding the crimes committed by catholic priests, and that it does not blame the LGBT community in this irresponsible manner;

ABGLT, differently to fundamental religious sectors, defends sexual education for children and adolescents, in order for them to learn to have autonomy over their bodies, and learn to protect themselves from and report abuse at home, in churches, and wherever else it may occur;

ABGLT calls on professional, human rights and LGBT organizations, both national and international, to make pronouncements on this matter;

ABGLT hopes that the Vatican’s Secretary of State, Cardinal Tarcisio Bertone, will be capable of showing the minimum of respect to the families of the children abused by priests and bishops of the Catholic Church, and that, instead of placing the blame of its scandals on the homosexual community, it reflects on the past and on the harm that the Church has historically caused to Black people, the disabled, women, Jews, gypsies, homosexuals and children and adolescents throughout the world. Will the Church, in the future, also ask forgiveness of the homosexual community for yet another injustice it is committing now?

Long live the Secular State. For the right for children and adolescents to have Sexual Education, for the punishment (under secular laws) of ordained people who sexually abuse children and adolescents, for a new Church that respects the human rights of all citizens, indiscriminately.

ABGLT - Brazilian Lesbian, Gay, Bisexual and Transgender Association

LGBT: Repúdio sobre declarações do Vaticano

vaticano1

NOTA OFICIAL DA ABGLT SOBRE DECLARAÇÕES DO VATICANO REFERENTES À HOMOSSEXUALIDADE

A ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – é uma entidade de abrangência nacional, fundada em 1995, que congrega 237 organizações congêneres e tem como objetivo a defesa e promoção da cidadania desses segmentos da população. A ABGLT também é atuante internacionalmente e tem status consultivo junto ao Conselho Econômico e Social da Organização das Nações Unidas.

Diante da declaração do Secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, que afirmou nesta segunda-feira (12/04/2010) que é o “homossexualismo” (sic), e não o celibato, que deve ser relacionada à pedofilia, a ABGLT vem a público se manifestar:

A ABGLT deixa claro no seu estatuto que é contra a pedofilia, seja ela praticada por pessoas de qualquer orientação sexual ou identidade de gênero, heterossexuais ou homossexuais. A ABGLT, no seu primeiro Congresso, realizado de 20 a 24 de janeiro de 2005, em Curitiba, Paraná, Brasil, deliberou pela defesa e garantia do estado laico e contra a exploração e abuso sexual de crianças e adolescentes. A ABGLT entende que a pedofilia é um transtorno, conforme a Classificação Internacional de Doenças 10 - F65.4: 302.2, e que o abuso sexual de crianças e adolescentes é crime. A ABGLT mantém uma campanha permanente contra a pedofilia e o abuso sexual de crianças e adolescentes: http://www.abglt.org.br/port/luta_pedofilia.php ;

Diversos estudos sobre a pedofilia e sobre o abuso sexual de crianças e adolescentes apontam que a maioria destes crimes é perpetrada por heterossexuais, sem que isto signifique que a heterossexualidade cause a pedofilia. As questões relacionadas à pedofilia propriamente dita são muita complexas e não podem se reduzir a tão simplista diferenciação baseada na orientação sexual dos agressores. O que surge de fato como tendência nos estudos é que os crimes são praticados especialmente por pessoas que têm proximidade, exercem autoridade e possuem confiança em relação às crianças e aos adolescentes, como pais, familiares, religiosos;

A ABGLT não aceita esta provocação do Vaticano contra as pessoas Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT, que não passa de uma tentativa de desviar a atenção do problema maior que se prolifera dentro do seio da Igreja Católica, o qual deve - sim - ser explicado e esclarecido para a sociedade em geral;

A ABGLT defende um Estado Laico e entende que a liberdade religiosa não garante ao Vaticano o direito de julgar com suas próprias leis os seus pares que abusam de crianças e adolescentes. A ABGLT entende que religiosos que cometam crimes de abuso sexual de crianças e adolescentes, além de ter o devido acompanhamento dos serviços de saúde, devem ser submetidos às penas previstas pela lei secular, assim como o restante da população. Assim, a ABGLT se soma às demais instituições de direitos humanos e pede que o Vaticano se explique sobre estes crimes cometidos por sacerdotes católicos, e que não culpe de forma irresponsável a comunidade LGBT;

A ABGLT, diferente dos setores fundamentalistas religiosos, defende a educação sexual para crianças e adolescentes, de tal modo que aprendam a ter autonomia sobre seu corpo, e a se proteger e denunciar abusos dentro de casa, nas igrejas e em qualquer outro lugar;  

A ABGLT convoca as organizações profissionais, de direitos humanos e LGBT, nacionais e internacionais, a se pronunciarem sobre o assunto;

A ABGLT espera que o Secretário de Estado do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, tenha o mínimo de respeito para as famílias das crianças abusadas por padres e bispos da Igreja Católica, e que, ao invés de jogar a culpa de seus escândalos para a comunidade homossexual, reflita sobre o passado e o mal que historicamente a Igreja tem feito aos negros, deficientes, mulheres, judeus, ciganos, homossexuais e crianças e adolescentes em todo o mundo. Será que futuramente a Igreja vai pedir perdão também aos homossexuais por mais este erro que está cometendo agora?

Viva o Estado Laico. Pelo direito da Educação Sexual de crianças e adolescentes, pela punição (conforme as leis seculares) de religiosos que abusam sexualmente de crianças e adolescentes, por uma nova Igreja que respeite os direitos humanos de todos os cidadãos e todas as cidadãs, sem distinção de qualquer natureza.

Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais

segunda-feira, abril 12, 2010

Ateus querem a prisão do Papa

Ateus britânicos vão pedir prisão do papa por abusos na Igreja

da BBC Brasil

pope-darkforce

Dois renomados ateus britânicos expressaram sua intenção de processar o papa Bento 16 pelo seu papel nos casos de abusos sexuais envolvendo padres da Igreja Católica em diversas partes do mundo.

Os escritores Richard Dawkins e Christopher Hitchens disseram que moverão um processo contra o papa tanto na Justiça do Reino Unido, país que o pontífice visitará em setembro, quanto na Corte Penal Internacional.

Dawkins, biólogo de formação, é um conhecido autor de livros que questionam a validade e a veracidade das religiões. Seu trabalho mais conhecido, "Deus, uma ilusão", vendeu mais de 1,5 milhão de cópias e virou um best-seller publicado em mais de 30 países.

Hitchens é filósofo e cientista político pela Universidade de Oxford, e colunista de diversas publicações, como "Vanity Fair", "Harper's" e "Granta".

A argumentação jurídica seguiria a mesma lógica da ação que culminou com a prisão do ex-ditador chileno Augusto Pinochet durante sua visita a Londres em 1998.

Os pensadores alegam que o pontífice "não é imune à prisão no Reino Unido" porque, apesar de ser o chefe do Vaticano, não é um chefe de Estado reconhecido pela ONU (Organização das Nações Unidas).

"Acredito que a Justiça britânica rejeitará (o argumento de imunidade do papa)", disse o advogado especializado em direitos humanos que representará os escritores, Mark Stephens.

"Se o papa viesse em visita de Estado, normalmente um chefe de Estado teria imunidade soberana. O que defendo é que ele não é um soberano, não é chefe de Estado, por isso não pode se valer dessa defesa."

Dawkins e Hitchens e seu advogado creem que podem acusar o papa de crime contra a humanidade.

Escândalos

Bento 16 tem sido alvo de críticas diante das inúmeras denúncias de abusos de menores que surgiram, porque ele chefiava o braço da Santa Sé responsável pela disciplina.

Em muitos casos o papa, então cardeal Joseph Ratzinger, é acusado de omissão. Mas no fim da semana passada veio a público uma carta de 1985 em que ele resiste à ideia de destituir das funções sacerdotais o padre americano Stephen Kiesle, acusado de abuso sexual.

O então cardeal Ratzinger afirmou na carta que o "bem da Igreja universal" precisava ser levado em conta em um ato como a destituição das funções sacerdotais.

O Vaticano confirmou a assinatura do cardeal no documento, revelado pela agência de notícias Associated Press.

Em resposta à divulgação da carta, o porta-voz do Vaticano disse que o documento foi apresentado "fora do contexto".

 

Fonte: UOL

Nós nos Importamos (We Give a Dawn)

,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,,whoopi

— Campanha feita por celebridades a favor da Igualdade para a população LGBT.

Está rolando nos EUA e alguns outros locais do mundo.

WE GIVE A DAMN - Ou seja, nós nos importamos!!!

Site oficial http://www.blogger.com/www.wegiveadamn.org

Participação de Elton John, Anna Paquim, Whoopi Goldberg, Sharon Osbourne, Eric Roberts, Jason Mraz.

Legendas

traduzido por Pamina

Sincronizado por Del.

por www.ParadaLesbica.com.br

domingo, abril 11, 2010

Militância LGBT e a adoção homoafetiva

gay_adoption_b

NOTA PÚBLICA

PROJETOS DE LEI NA CÂMARA DOS DEPUTADOS QUE VISAM À PROIBIÇÃO DE ADOÇÃO POR CASAIS HOMOAFETIVOS OU POR HOMOSSEXUAIS

A ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – cumprindo seu relevante papel social de defender a Dignidade e a Cidadania de pessoas LGBTs, representadas nas 237 associações civis, componentes da estrutura de representação desta Entidade Nacional, vem a público manifestar o seu REPÚDIO à proposta legislativa de numero 7018/2010 de autoria do deputado federal Zequinha Marinho.

O I. Deputado referido lança no Projeto de Lei, citado acima, a indigna e afrontosa ideia de obstaculizar, através de instrumento legal, adoção de crianças postulada por pessoas em convivência homoafetiva estável.

Justifica esta sua iniciativa legislativa em decorrência de várias decisões judiciais, que tutelando interesses de crianças, vêm deferindo a adoção postulada em processos por parceiros(as) homoafetivos(as).

Elenca o Deputado autor a possível correspondência legislativa de sua ação parlamentar com legislação próxima na Ucrânia.

Ignorando o disposto sobre o tema adoção em países que possuem legislações e/ou instrumentos legais, no sentido diametralmente inverso, ou seja, permitindo a adoção por parceiros(as) homoafetivos(as).

Esta iniciativa parlamentar violenta não apenas o Direito de pessoas LGBTs, atingindo também a possibilidade de crianças, em situação de abandono, terem um Lar para chamar de seu, podendo dispor de pessoas que as venham assistir e cuidar.

A afronta à dignidade e cidadania de pessoas LGBTs e, das crianças abandonadas à sua própria sorte, é enorme e desproporcional.

O preconceito demonstrado na “justificação” do referido Projeto, comprova que a discriminação gerada pela homofobia pode não só violentar fisicamente as pessoas; como pode impedir uma construção positiva de nossa Sociedade.

Esta atitude, que é um ataque frontal a decisões do Poder Judiciário, tencionando exterminar tutelas seletivamente concedidas, afeta a construção da Cidadania de outras pessoas; obstaculizando a criação de lares para crianças abandonadas em nosso País.

A grave situação de abandono de crianças sem lares para viver em nosso País, não pode ser legalmente agravada, pelo preconceito e discriminação de pessoas que imbuídas de sentimentos homofóbicos, posicionam-se no sentido contrário aos interesses de pequenos futuros Cidadãos de nosso País.

A proposta atenta contra a Dignidade Humana e contra a Cidadania das populações a serem atingidas pelo seu conteúdo, baseado no mais puro e obtuso preconceito.

Estendemos nosso repudio também ao PL 4508/2008 (Dep. Olavo Calheiros), por ter o mesmo conteúdo, preconceituoso e discriminador, ao tratar do tema adoção.

Neste sentido pedimos aos que defendem a Dignidade Humana e a construção de uma Sociedade Justa, Fraterna e Plural, que rejeitem as referidas Propostas Legislativas, pois lastreadas no preconceito, que a tudo aniquila, geram discriminação afrontosa.

12 de abril de 2010

ABGLT – Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e  Transexuais

sábado, abril 10, 2010

Portugual: Casamento gay é LEGAL!

Fonte: A Capa

A pedido do presidente Anibal Cavaco Silva, a Corte Constitucional de Portugal legitimou novamente a lei que permite o casamento homossexual no país.

Apesar de ter sido aprovada em janeiro, o presidente ainda tinha dúvidas sobre a constitucionalidade da lei, que retira a obrigatoriedade de que somente pessoas de sexos diferentes podem realizar o matrimônio.

De acordo com a Corte, a Constituição "não proíbe a evolução da instituição do matrimônio" e "sua extensão a pessoas do mesmo sexo não impede o reconhecimento e a proteção da família como elemento fundamental da sociedade".

Com essa determinação, o presidente tem agora um prazo de 20 dias para promulgar a lei ou vetá-la, o que implicaria nova votação no parlamento.

alg_gay_marriage

Argentina: beijo gay na teledramaturgia

29142

A emissora argentina Telefé levou ao ar em março cenas de beijo gay entre os personagens Flaco Riveiro (Cristian Sancho- foto ao lado) e Lalo (Ezequiel Castaño- foto a baixo) na novela "Botineras".

Em uma das cenas, Riveiro, um famoso jogador de futebol bissexual, entra no vestiário e começa a consolar Lalo, que está desesperado e chora com medo de ser acusado pela morte da personagem Giselle (Florencia Peña), ocorrida dias antes. Entre um conselho e uma palavra de afeto, os dois acabam se beijando.

Ezequiel%20Castano%202

 

Em entrevista à revista "Caras", Christian Sancho disse que o beijo foi "intenso e verdadeiro" e que a cena ocorreu tranquilamente. "Jamais tinha beijado outro homem na vida", disse o ator.

"Botineras" estreou em novembro do ano passado e é exibida de segunda a quinta, às 22h30. A novela é sucesso de audiência na Argentina no horário nobre.

 

Abaixo, assista à polêmica cena:

 

 

Fonte: A Capa

 

sexta-feira, abril 09, 2010

Triste Ratinho e a polêmica do de Pádua

AB0ML0KCA7ICT6JCAW5BDV5CAZBYTTZCACQP7OOCAUX9H9PCAX26C7NCALED9QDCA81298DCA28V89TCAFMVRGHCAY1HXRFCAZW1LPNCAXS7FGGCAHEP7MVCA0CG76QCAX29N61CAWGG9U1

Condenado a 19 anos e nove meses de prisão pelo assassinato de Daniella Perez, ocorrido em 1992, Guilherme de Pádua afirmou nessa quinta-feira (8), em entrevista ao apresentador Ratinho, que gostaria de pedir perdão à novelista Glória Perez, mãe da vítima. "O que eu mais desejo é a felicidade das pessoas a quem causei dor. Mas eu acho que ela (Glória) não quer me ouvir", afirmou Guilherme no Programa do Ratinho.

Durante a entrevista, ao vivo, Guilherme não quis contar o que aconteceu na noite do assassinato. Na quarta-feira (7), Glória Perez escreveu no Twitter que ia processar Guilherme se ele fizesse "qualquer referência mentirosa" a Daniella. Irritado por Guilherme não falar sobre o crime, Ratinho terminou o programa dizendo que o entrevistado era um ator e que, se estivesse no lugar de Glória Perez, não o perdoaria.

Na conversa com Ratinho, Guilherme disse que a justiça foi feita. "Estraguei a minha vida. Deus tem feito coisas maravilhosas por uma pessoa que não merece. Fui condenado no natural, mas não no sobrenatural. Deus transformou minha vida", garantiu ele, que agora é evangélico.

Segundo o ex-ator, sua versão e a de sua ex-mulher, Paula Thomaz, também condenada pelo assassinato de Daniella, nunca foram divulgadas. "Ninguém sabe a minha versão da história. Já cuspiram em mim no shopping. As pessoas adoram chutar cachorro morto, principalmente se for alguém pacato como eu. Precisam de Deus", disse ele, sem contar a sua versão.

Após a entrevista, Glória Perez postou vídeo de Guilherme no Twitter e escreveu: "Esse é o psicopata". Em seu blog, ela criticou Ratinho por entrevistá-lo. "A iniciativa do programa foi um insulto a mim e a todas as mães de filhos assassinados. Se deu algum ibope, Sr. Ratinho, que o lucro lhe seja leve!", escreveu.

Processo como resposta
Após saber da entrevista que Guilherme de Pádua daria no Programa do Ratinho, quarta-feira, Glória Perez usou seu perfil no Twitter para protestar. "Advogados acionados! O assassino não está mais sob proteção da lei que garante ao acusado o direito de mentir e denegrir a vítima para se safar. Portanto, qualquer referência mentirosa à minha filha terá como resposta medidas judiciais cabíveis! O recado foi dado! Que o assassino fale de si: qualquer versão fantasiosa envolvendo minha filha, processo neles! Criminal e cível", escreveu.

Glória Perez e Ratinho: farpas pela internet
Glória Perez também usou o Twitter na quarta-feira para criticar Ratinho. "Lastimável a atitude do Ratinho de levar o psicopata ao seu programa. Um psicopata que embosca e mata colega de trabalho por causa de papel e ainda vai dar pêsames à família já não disse a que veio?", escreveu.

O apresentador não ficou calado e deu sua reposta também pelo Twitter: "Essa matéria é para saber, perante a opinião pública, se estes crimes hediondos já foram esquecidos ou ainda estão vivos na memória. Tenho 3 filhos e três netas. A história triste, o crime bárbaro, nada apaga a dor da perda de um filho".

Durante o programa, Ratinho se defendeu. "A Globo também mostrou entrevista de Glória Maria com Guilherme, logo depois do crime. Então, não vem me cobrar. Não sou funcionário deles, sou do SBT. Sou dono do programa. Só se o Silvio Santos ligar, não coloco no ar. Gente de fora não. Meu direito. Isso é censura. Eu não estou aqui para apoiar o Guilherme. Vou conversar com ele, faz 18 anos que ele não toca no assunto", disse.

Relembre o caso
A atriz Daniella Perez foi assassinada aos 22 anos, com 18 golpes de tesoura, no dia 28 de dezembro de 1992. Na época, ela vivia a personagem Yasmin em De Corpo e Alma, trama escrita por sua mãe, Glória Perez. A atriz, que era casada com o ator Raul Gazolla, foi assassinada na noite do dia 28 de dezembro de 1992, por volta das 21h30, logo após ter deixado os estúdios da Globo, depois de mais um dia de gravação. Seu corpo foi encontrado em um matagal da Barra da Tijuca.

Logo após a confissão dos assassinos - o ator Guilherme de Pádua e sua mulher na época, Paula Thomaz -, começaram a circular várias versões que tentavam explicar o ocorrido. Entre elas, a de que Guilherme estaria confundindo a ficção com a vida real e que estaria apaixonado por Daniella Perez. Foi cogitado, inclusive, que os dois estariam vivendo um romance fora das telas, história totalmente negada por todos os colegas de elenco.

Em janeiro de 1997, o juiz José Geraldo Antônio condenou Guilherme a 19 anos de prisão pela morte da atriz. No dia 16 de maio daquele ano, após 44 horas de julgamento, o mesmo juiz condenou também Paula a 18 anos e meio, pela sua participação no assassinato. A decisão foi comemorada pelo público presente com uma salva de palmas.



Fonte: TERRA

Fátima Cleide usa BBB10 para ilustrar preconceito

Reprodução

fatima-cleide

Para Fátima Cleide, Dourado é síntese da homofobia

A senadora Fátima Cleide, uma das maiores defensoras dos direitos LGBT no Congresso Nacional, usou o exemplo do BBB10 para ilustrar a homofobia tão presente em nosso país. A parlamentar falava em defesa do capítulo do 3º Plano Nacional de Direito Humanos que trata da "garantia do respeito à livre orientação sexual e identidade de gênero" e prevê o apoio ao projeto da união civil entre pessoas do mesmo sexo, quando citou a vitória de Marcelo Dourado no reality show. Para Cleide, o lutador gaúcho é a "síntese da homofobia".

"[Dourado] expressa o machismo, a síntese do que é a homofobia. Aqui [no Congresso], nós ouvimos pronunciamentos dizendo que não existe homofobia no Brasil. É preciso rever isso. Nós recebemos uma denúncia de que após a conclusão do programa, outro participante, o Dicesar já recebeu cerca de 11.000 mil ameaças de morte via vários meios de comunicação como orkut, twitter". alertou.

Para a senadora, os políticos precisam assumir de verdade o compromisso de combate à discriminação por orientação sexual. "Não é mais possível conviver com a omissão do Legislativo. Ninguém quer casamento, matrimonio, o que as pessoas esperam e o reconhecimento da parceira civil".

O Plano Nacional de Direitos Humanos foi debatido nesta quinta no Senado, quando seis comissões se reuniram com o ministro Paulo Vanucchi.

Fonte: Mix Brasil

Globo: Remake de Tititi e os gays em cena

Alexandre Borges será gay fake, enquanto Gustavo Leão vive homossexual genuíno em novela das 19h.





A Rede Globo vem se preparando para estrear o remake da novela Tititi, sucesso originalmente exibido nos anos 80. A trama escrita por Cassiano Gabus Mendes ocupará a faixa das 19 horas e terá ingredientes para provocar muitas discussões entre a comunidade gay. Isso por conta de dois personagens: Jacque Léclair e Osmar.

O primeiro ganha interpretação do galã Alexandre Borges e será um falso homossexual. Vivido na montagem original por Reginaldo Faria, Léclair é um estilista que prefere esconder sua heterossexualidade acreditando que assim, se dará melhor no mundo da moda.

"Ele tem uma personalidade um pouco dúbia, vai ter alguns momentos mais afetados. Na verdade ele é um estilista não muito famoso que busca seu reconhecimento, de um jeito meio duvidoso", explica Alexandre Borges.

Já Osmar será um homossexual genuíno. Quem dá vida a ele é o jovem ator Gustavo Leão. O principal conflito do personagem será com o próprio pai, que flagrará Osmar morando junto com o namorado Julinho (André Arteche) em Belo Horizonte, onde se passará parte da história, e não aceitará a orientação sexual do filho.

"Acho que o pai já sabia desde cedo, mas acaba flagrando a gente em casa em uma visita de surpresa. Ele não aceita o que vê", conta Gustavo Leão. Ainda de acordo com o ator, Osmar deve fugir das afetações comuns em gays de novelas, já que a composição do personagem foi focada na delicada relação com o pai. "Nas novelas sempre tem gay afetado. Não será o caso. Ser gay não é um defeito, não é um problema. Vou interpretar uma pessoa que ama o namorado. Vou ser forte com o pai e carinhoso com o Julinho. Seremos um casal normal".

E se você já está criando esperanças de ver um beijo gay em um novela global, pode ir tirando o cavelinho da chuva. Não vai rolar em Tititi, até porque Osmar morre logo no início da trama.

A novela estreia em 26 de julho.

Fonte: Mix Brasil

Continue lendo ►



    Sucesso como o tímido Indra de Caminho das Índias, o ator André Arteche já tem data para voltar às novelas. Em abril, ele começa a gravar a novela Ti Ti Ti, que ganha um remake adaptado por Maria Adelaide Amaral com uma mistura da trama original, de 1985, com a de Plumas e Paetês, de 1980, ambas de Cassiano Gabus Mendes, morto em 1993. Saiba um pouco sobre o personagem.

    - Recebi a sinopse da novela na semana passada. A única coisa que eu sei é que vou interpretar uma pessoa envolvida com moda. Não sei o nome do personagem ainda.

    As reuniões de elenco, segundo André, de 25 anos, começam no mês que vem.

    - Aí saberei mais sobre o personagem e vou começar a fazer laboratório para a composição.

    Por ser relacionado à moda, André vai poder contar com uma ajuda e tanto da namorada, a figurinista e estilista Tarsila Takahashi, com quem está junto há um ano e meio.

    - Vou colar nela para ela me passar tudo sobre o mundo da moda.

    Como os trabalhos só começam em fevereiro, o ator ainda vai ter direito a mais uma temporada de férias.

    - Vou descansar mais um pouco. Vou passar o Carnaval em Nova York, nos Estados Unidos, com a minha namorada.

    Ti Ti Ti terá direção de Jorge Fernando e vai substituir Tempos Modernos a partir de agosto na Globo. A história gira em torno das loucuras provocadas pela rivalidade entre os estilistas Jacques Leclair, interpretado na trama original por Reginaldo Faria, e Victor Valentin, Luis Gustavo. O elenco da novela ainda não está totalmente fechado, mas já tem confirmados Murilo Benício como Victor Valentin, Christiane Torloni, Caio Castro, Cláudia Raia e Ísis Valverde.

    Fonte: Blog do André Arteche

Luiz Mott dará depoimento na novela Viver a Vida

Fundador do Grupo Gay da Bahia contará sua história durante novela global

Reprodução

317733

Fundador do GGB conta sua história em Viver a Vida

O antropólogo e militante Luiz Mott vai aparecer em breve na novela global "Viver a Vida". O fundador do Grupo Gay da Bahia contará um pouco de sua história em um daqueles depoimentos que a novela exibe no fim de cada capítulo.

Mott deve falar das grandes mudanças que vivenciou. A primeira delas foi quando, após 8 anos como seminarista dominicano, passou a considerar-se ateu e começou o estudo da antropologia, trocando o dogma cristão pelo relativismo cultural e materialismo histórico.

A outra virada na vida de Mott foi quando decidiu sair do armário, acabando um casamento de cinco anos e que rendeu duas filhas.

"Quando assumi minha homossexualidade e desfiz um casamento que me deu duas filhas, cerrei as cortinas de um teatro para recomeçar uma vida de verdade. Aceitei gravar este depoimento por acreditar que milhões de pessoas terão oportunidade de ver e ouvir um gay sessentão que oferece uma alternativa de estilo de vida. Não me coloco como modelo, mas reivindico que os milhões de gays não afetados também tenham espaço na grande mídia", diz.

Fonte Mix Brasil

Imoralidade do clero, um caso para justiça

Igreja deve colaborar com Justiça para apurar casos de pedofilia, diz Vaticano

Objetivo é restabelecer a confiança dos fieis, segundo porta-voz. Segundo ele, número de novas denúncias parece estar diminuindo.

bento-xvi1

A Igreja Católica deve prosseguir colaborando com a Justiça para investigar todas as denúncias de pedofilia contra o clero, como a única forma de restabelecer a confiança dos fieis, declarou nesta sexta-feira (9) o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi:

"Além da atenção às vítimas, é necessário prosseguir com a colaboração com as autoridades civis, competentes nos planos judicial e penal, levando em conta as especificidades jurídicas e de circunstâncias nos diferentes países… É a única forma que nos permitirá restabelecer um clima de justiça e de plena confiança na instituição eclesiástica.".

Afirmou em declarações à Rádio Vaticano.

A Igreja está abalada há várias semanas por uma série de escândalos de pedofilia cometidos por padres ou religiosos.

"Mas parece que o número de denúncias de novos abusos, como acontece nos Estados Unidos, está diminuindo", afirmou Lombardi.

quinta-feira, abril 08, 2010

Malásia: Filme gay afronta censura local

Primeiro filme de temática homossexual da Malásia afronta censura local

0,,39224421-FMMP,00

Em Kuala Lampur, na Malásia, mulheres observam pôsteres de filmes em exibição nos cinemas: país tem regras severas para exibição de longas. (Foto: Lai Seng Sin/AP).

O primeiro filme de temática homossexual produzido na Malásia pode entrar em cartaz nos próximos meses, mas a produção vem enfrentando problemas com a censura local - que mesmo após abrandar restrições, continua a restringir o enredo do longa-metragem.

Intitulado "Dalam botol" (ou, em inglês, "In a bottle"), o filme narra a história de um homem gay cujo relacionamento afetivo é abalado após ele passar por uma cirurgia de mudança de sexo.

A produtora do longa, Raja Azmi Raja Sulaiman, diz que o filme não tem cenas de sexo explícito e tampouco de beijos, mas que sua exibição poderia ser um grande passo rumo à tolerância em um país de religião islâmica e fortemente conservador.
"Nós topamos correr o risco", disse ela à Associated Press. "Mas ainda estamos muito nervosos, sem saber se a censura permitirá a exibição do filme quando finalizado.". Ela teria investido cerca de US$ 200 mil dólares na produção.

"Mesmo sem permissão oficial, estamos filmando cenas de nudez e abraços apaixonados, já que sem elas não poderíamos contar a história e mostrar o quanto os protagonistas se amam".

A censura dificilmente permitirá tais cenas para a audiência malasiana - acostumada a comédias românticas e produções de temas pouco polêmicos. Recentemente, o filme "Brüno", do comediante Sacha baron Cohen, foi banido dos cinemas do país.


Regras para a produção de filmes

A censura local tem amenizado suas regras, dizendo que temas relativos à causa gay não serão mais proibidos. Ainda assim, cineastas são orientados a não retratar comportamento considerado imoral, como o ato de jogar, beber e fazer "sexo promíscuo".

Na Malásia, a sodomia - mesmo consensual - é ato passível de detenção por 20 anos. Prisões são raras, apesar de o líder da oposição ao governo vigente no país, Anwar Ibrahim, estar atualmente sendo processado por manter relações sexuais com outro homem.

Fonte: Globo.com

quarta-feira, abril 07, 2010

Ruínas da Babilônia

ruinas

A ameaça mais imediata à preservação das ruínas da Babilônia, o local de uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo, é a água que inunda o chão e destrói o que restou de uma grande cidade da época do Rei Nabucodonosor II, onde hoje é o Iraque.

Essa também é uma das ameaças mais antigas. O próprio rei enfrentou problemas de água há 2.600 anos. A negligência, reconstruções sem cuidado e pilhagem em tempos de guerra também causaram problemas em épocas mais recentes, mas arqueólogos e especialistas em preservação de relíquias culturais dizem que nada substancial deve ser feito para corrigir isso até que o problema da água esteja sob controle.

Um estudo atual, conhecido como projeto Futuro da Babilônia, documenta os danos causados pela água, especialmente associados ao rio Eufrates e ao sistema de irrigação ali perto. O solo está saturado logo abaixo da superfície em locais do Portão de Ishtar e os Jardins Suspensos, há muito extintos, uma das sete maravilhas. Tijolos estão se esfarelando, templos estão em colapso. A Torre de Babel, reduzida a pedregulhos, está cercada de água estancada.

Os líderes do projeto internacional, ao descrever suas descobertas em entrevistas e numa reunião realizada em março em Nova York, disseram que qualquer plano para reivindicar a Babilônia como atração turística e local de pesquisa arqueológica deve incluir o controle da água como “a prioridade número 1”.

O estudo, que visa desenvolver um planejamento para a cidade antiga, foi iniciado no ano passado pelo World Monuments Fund, em colaboração com o Conselho Estatal de Antiguidades e Patrimônio do Iraque. Uma verba de US$ 700 mil do Departamento de Estado americano está financiando o estudo inicial de dois anos e um plano preliminar de gerenciamento. Um representante do fundo afirmou que todo o esforço poderia durar cinco ou seis anos.

“Este é, sem dúvida, o programa mais complexo que já tivemos de organizar”, disse Bonnie Burnham, presidente do fundo.

Alguns arqueólogos expressaram preocupação sobre o que eles disseram ser o lento início do programa.

Membros do projeto afirmaram ter tido sérios problemas em persuadir especialistas estrangeiros a ir até o Iraque e então liberar a entrada deles e de seus instrumentos de trabalho no país.

Além do desgaste do tempo a que estão sujeitas todas as ruínas antigas, a Babilônia também sofreu depredações na história recente. Arqueólogos alemães que realizaram o primeiro estudo minucioso do local, antes da Primeira Guerra Mundial, reconheceram as incursões de águas de irrigação trazidas de um afluente do rio Eufrates, a 80km da atual Bagdá.

McGuire Gibson, especialista em arqueologia mesopotâmica da Universidade de Chicago, que não está envolvido no projeto, concordou que a água seja o “principal problema” da Babilônia. Segundo ele, o problema piorou nos últimos anos, quando um lago e um canal foram escavados como parte de esforços para atrair turistas. O próprio Nabucodonosor, como Gibson observou, lidava com a invasão das águas erguendo novas construções em níveis ainda mais elevados, em cima de montes de ruínas antigas.

Os primeiros pesquisadores alemães, liderados por Robert Koldewey, relataram ter encontrado danos extensivos causados pela água a estruturas de tijolo de barro e a intrusão de campos de agricultura e vilas dentro das fronteiras da cidade original. As pessoas já tinham carregado tijolos e pedras, deixando quase nada do Zigurate, conhecido pelo historiador Heródoto e pela Bíblia como a Torre de Babel. Os próprios alemães rebocaram o Portão de Ishtar para um museu em Berlim.

Então, nas décadas de 1970 e 1980, Saddam Hussein, lançando-se como herdeiro da grandeza da Nabucodonosor, construiu seu próprio palácio imponente na Babilônia, no local do antigo palácio de seu antecessor real. Ele até adotou a prática do rei de cunhar seu próprio nome nos tijolos da reconstrução. Arqueólogos ficaram horrorizados. O novo palácio e algumas outras restaurações, dizem eles, não são autênticas, mas mesmo assim dominam o local.

O que fazer com o palácio de Saddam é outro problema, disse o codiretor do projeto, Jeff Allen. “Como equilibrar a integridade do local com seu uso como atração turística é um problema”, explicou ele, observando que o Iraque conta com a Babilônia como futura fonte de receita turística.

Allen, consultor americano em preservação cultural e radicado no Cairo, disse que custaria milhões de dólares demolir o palácio ou convertê-lo num centro de visitação para turistas. “Isso ainda tem que ser estudado por outros especialistas”, disse ele. Ele brincou ao sugerir que o palácio ficaria perfeito como cassino.

“Eu deixaria o lugar em paz”, disse Gibson, apontando que a construção foi baseada em rascunhos deixados pelos arqueólogos alemães.

“Assim, você pode caminhar ao redor de algo parecido com a antiga arquitetura”, continuou. “De outra forma, você vai caminhar e não ver nada, a não ser um monte de ruínas”.

Elizabeth C. Stone, arqueóloga da Stony Brook University, em Nova York, e que tem familiaridade com a Babilônia, afirmou apoiar esforços para reabrir o local para turistas, especialmente os próprios iraquianos.

“Está perto de Bagdá e é um dos locais onde víamos os iraquianos irem para saber um pouco mais sobre seu passado”.

Mais danos foram causados durante a guerra do Iraque, iniciada em 2003. A pilhagem dominou ali e em outros sítios arqueológicos. O exército americano ocupou a Babilônia por vários anos, protegendo-a de saques, mas deixando outras cicatrizes. Cerca de 1km2 de solo de superfície, alguns com artefatos, “foi removido de uma forma ou de outra”, disse Stone.

“Os militares certamente não fizeram bem algum ao lugar”, disse Lisa Ackerman, vice-presidente executiva do fundo de monumentos. “Eles moveram muita terra, mas o dano é reparável”. O local foi devolvido ao controle iraquiano há mais de um ano. Ackerman e Allen disseram que o projeto já tinha feito um levantamento sobre os remanescentes, construção por construção, e iniciado a restauração de dois museus. Embora o Iraque tenha o maior corpo de arqueólogos treinados, dizem eles, uma necessidade imediata é instruir outras pessoas na conservação de ruínas e trazer engenheiros e hidrólogos para lidar com o problema da água.

Fonte: Uol

Igreja se diz "humilhada" com casos de pedofilia em Alagoas

fotodacuria

Foto: Curia Diocesana de Penedo

 

A Diocese de Penedo afirmou que a Igreja Católica se sente triste e humilhada com as recentes acusações de pedofilia envolvendo monsenhores e padres em Arapiraca (AL). A Igreja informou que todas as medidas previstas pelo direto canônico foram tomadas “energicamente” contra os acusados no escândalo.

Nesta terça-feira (6) à noite, a Diocese emitiu nota onde expressou solidariedade às vítimas do "fato aberrante" e comunicou a "suspensão total das ordens sagradas" do monsenhor Luiz Marques Barbosa, 82, flagrado em um vídeo praticando sexo com um jovem supostamente de 18 anos. Outros dois padres e um monsenhor foram afastados preventivamente apenas das celebrações e respondem a processos canônicos.

"Entristece-nos e humilha-nos pensar na situação dramática das possíveis vítimas e da Igreja escarnecida e vilipendiada a causa do comportamento imoral de quem deveria ser mestre de fé e de conduta ilibada", diz o texto, assinado pelo bispo Dom Valério Breda.

Para a Igreja, o escândalo circulou pelo "mundo inteiro" e "expôs à pública execração o pecado revoltante, que clama por justiça e por inadiável e radical purificação e conversão".

Pela primeira vez, a Igreja admitiu uma possível reparação em caso de comprovação de pedofilia e ofereceu apoio às vítimas. “Sentimos ainda mais dilacerante e urgente o apelo por justiça e por reparação, caso seja confirmada a acusação de abuso ou constrangimento sexual contra menores pelos padres citados. Se há jovens vítimas, a Igreja se posiciona incondicionalmente ao lado deles”, afirmou.

A Igreja ainda garantiu que vai ajudar a Polícia Civil e o Ministério Público nas investigações de casos de pedofilia envolvendo autoridades religiosas. "Reiteramos o nosso irrestrito compromisso em contribuir eficazmente e favorecer o inquérito policial, instaurado para averiguar a veracidade das denúncias formuladas pelas supostas vítimas, ao tempo em que nos colocamos a total dispor das autoridades de polícia e da justiça para tudo o que se fizer necessário".

Dom Valério ainda respondeu às críticas do senador Magno Malta (PR-ES), presidente da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pedofilia, de que a Diocese teria sido informada das denúncias de abuso sexual e não teria informado às autoridades e apenas “afastado os padres de paróquia para que eles continuassem abusando em outro lugar”.

“Cabe o esclarecimento de que somente com a veiculação do programa televisivo ‘Conexão Repórter’, da Emissora SBT, em 11 de março de 2010, apresentando denúncias e identificando os envolvidos, foi que a Diocese tomou conhecimento daqueles fatos”, assegurou o bispo, que afastou os acusados dois dias após a divulgação da reportagem.

CPI

Também nesta terça-feira, a CPI da Pedofilia definiu as datas e os 17 nomes das pessoas que vão depor na cidade de Arapiraca entre os dias 16 e 18 abril.

Os padres acusados, as duas delegadas que investigam o caso e 12 testemunhas e possíveis vítimas (entre elas três menores de 18 anos) serão ouvidos pelos senadores integrantes da CPI.

Fonte UOL

Polêmica com Glória Perez

Guilherme de Pádua, hoje evangélico, membro da Igreja Batista da Lagoinha, e um dos responsáveis pelo portal Lagoinha.com estará novamente na mídia, devido a uma ajudinha do Ratinho, vulgo Carlos Massa, que oportunamente, tem usado seu programa, o espaço que tem no SBT, para divulgar os EVANGÉLICOS CARISMÁTICOS em detrimento da própria sociedade.

Assim, Ratinho já promoveu o Silas Malafaia, empresário da fé, e opositor do Movimento LGBT, e agora promoverá, dando voz à mídia, novamente, ao Evangélico e ex-assassino Guilherme de Pádua, o que fez a mãe de Daniela Perez, a novelista, Glória Perez protestar em suas redes sociais onde participa.

Não sei o que pretende de fato o Ratinho, apenas uma briga desleal pela audiência no horário em que concorre com do Datena, na Band, e o Brasil Urgente, ou se, de fato, dando uma de João sem-braço promover uma religião dentro do Brasil... Bem, o fato é: o povo adora, depois chora! Confira a reportagem do FUXICO:

Ratinho conseguiu uma entrevista exclusiva com o ex-ator Guilherme de Pádua, que em 1992 assassinou Daniela Perez, junto com sua então mulher, Paula Thomáz.  A jovem, que tinha 18 anos, é filha de Glória Perez, autora da novela De Corpo e Alma, na qual Daniela e Guilherme atuavam.

Inconformada com a entrevista, prevista para ser exibida nesta quarta-feira (7) e, provavelmente, na quinta-feira (8), Glória Perez mostrou estar indignada em sua página pessoal, no Twitter, pelo fato de o apresentador dar espaço para Guilherme em seu programa:

“Lastimável a atitude do Ratinho de levar o psicopata [Guilherme] ao seu programa. Peço a vocês que deem 'RT' [reprodução a outros endereços no twitter] nesses vídeos”, escreveu a novelista, que postou inúmeros links com vídeos no Youtube que mostram a condenação de Guilherme de Pádua.

Em seguida, a novelista ainda mandou a mensagem direto para o apresentador:

“@ratinhodosbt venha até meu Twitter conhecer de verdade o assassino que vai entrevistar. Mais em: http://daniellafperez.blogspot.com”, escreveu.

Em resposta à Glória, Ratinho também usou sua página no Twitter para tentar esclarecer seu ponto de vista sobre a entrevista que, segundo ele, é um assunto polêmico e que tem impacto na opinião pública.

“Essa matéria é pra saber perante a opinião pública se estes crimes hediondos já foram esquecidos ou ainda estão vivos na memória popular. Tenho três filhos e três netas. A história triste, o crime bárbaro, nada apaga a dor da perda de um filho. Na verdade, tento colaborar para que estes casos não fiquem esquecidos e a nova geração tome conhecimento do que aconteceu anos atrás”, postou ele, que em seu programa, no SBT, ainda questionou o fato de não poder entrevistar o assassino, já que outras emissoras podem entrevistar os Nardoni, a Suzane von Richthofen, entre outros que cometem crimes hediondos.

Por fim, Glória mostrando-se decepcionada com Ratinho:

“Que decepção! Eu apertei sua mão nos tempos em que você se indignava com assassinatos covardes!".

Guilherme de Pádua estará ao vivo no Programa do Ratinho, no SBT, às 18h e a população pode fazer perguntas e tirar suas dúvidas em tempo real.

terça-feira, abril 06, 2010

Fantástico: Ricky Martin, Netinho e outros

 

Segue aí no vídeo a matéria do Fantástico, Rede Globo, sobre a homossexualidade dos famosos. Eu, particularmente, gostei!

O Netinho, em seu blog, demonstrou-se insatisfeito, contudo, àquilo que ele disse, para o que foi ao ar, pela emissora, não estão tão distantes assim. Legal ele dizer dos rótulos e a mensagem toda focando que ele nunca deixou de ser quem ele é: o Netinho. Infelizmente os rótulos existem e as sociedades não vivem sem eles...

Assim, não vi superficialidade no programa, que deu ênfase à dificuldade de dizer à sociedade aquilo que se é, pelo preconceito da mesma em não aceitar e descascar, desdenhar, oprimir aqueles que se aventuram nessa possibilidade.

Entendi a posição do Netinho, mas o foco da Globo, nessa matéria, era dizer dos primeiros passos, aquilo que acontece imediatamente após o ato de se revelar sem máscaras.

A matéria foi legal, sim, e vale ser conferida.

segunda-feira, abril 05, 2010

Netinho volta a falar de sua bissexualidade e critica edição do Fantástico

untitled

Só pude ver a matéria de ontem do Fantástico de madrugada pois após o show levei ainda um bom tempo para chegar no hotel e conseguir me conectar à internet.

Lamentável a pobre edição que fizeram da entrevista que dei a Renata Ceribelli.
O programa desperdiçou uma bela oportunidade de aprofundar o assunto sem ser tão superficial como foi diante de tanta coisa bacana que eu falei.

Segue na íntegra tudo que falei na entrevista para Renata. Foi este o exato motivo pelo qual aceitei dar a entrevista: poder passar a minha experiência e visão sobre o assunto.

"Vivi uma experiência de relação com uma pessoa do mesmo sexo, relação essa que teve a mesma base de sustentação de qualquer outra relação: a paixão, o amor, o companheirismo e tudo o que de positivo você conseguir imaginar que pode acontecer entre duas pessoas. O fato de ter tido junto a mim uma pessoa do mesmo sexo não me modificou em nada como homem, como pai, como filho, como irmão e como amigo. Ao contrário, apenas me acrescentou. Me mostrou que o amor tem uma dimensão muito maior do que a que eu imaginava. Me mostrou que o amor está acima de cor, raça, idade, condição financeira, sexo, de tudo!

Meu jeito de falar, de andar, de vestir, de pentear... nada disso foi alterado. Eu continuei a ser a mesma pessoa, prezando a minha masculinidade, gostando de fazer as mesmas coisas, tendo a mesma relação com o espelho, com o meu eu interior e com os outros.

Nunca falei em lugar algum que sou "gay" pois não gosto da conotação que esta palavra tem aqui no Brasil. E não gosto de me rotular. Em nada. Não sinto que tenho que me situar numa categoria. Hoje o meu amor, o meu desejo podem estar direcionados a uma pessoa do sexo oposto e amanhã a uma do mesmo sexo. Isso pra mim não importa desde que estas relações sejam sempre motivadas pelo amor.

Na minha opinião, a palavra "Homossexual" tomou uma conotação por demais ligada ao corpo e ao sexo. Este fato transmite uma idéia errada a quem nunca viveu esse tipo de relação. Na verdade, o que une duas pessoas do mesmo sexo numa relação é o sentimento que sentem uma pela outra. E no amor, você não escolhe, não direciona. Aquilo que todos chamamos de orientação sexual deveria ser antes chamada de orientação afetiva.

Quando você já está vivendo uma coisa intensa e ainda não conseguiu encontrar dentro de você a forma de lidar com a 'novidade', com a 'realidade', seu instinto é se esconder, preservar ainda mais a sua privacidade de forma que ninguém invada um terreno que você ainda não conhece bem para poder falar a respeito. Com o tempo você adquire a certeza de que nada mudou. Com o tempo me vi o mesmo, só que muito mais feliz, apaixonado!

Passo à minha filha, aos meus amigos, e a quem posso, através da minha profissão, a mensagem de que nada que você faz por amor é em vão. Encorajo a que as pessoas corram atrás do verdadeiro amor nas suas vidas, esteja ele onde estiver. Sinto-me um homem muito completo e realizado com as experiências que tive. Aos que neste mundo ainda não entenderam que as coisas acontecem assim, só posso lamentar e desejar que encontrem o seu verdadeiro amor pois lhes trará muita luz com respeito a este assunto e a muitos outros."

Fonte: http://www.netinho.com.br/

As maravilhas de Dubai

Beijo pode levar casal de ingleses para prisão em Dubai

Charlotte Adams, 25, e Ayman Najafi, 24 anos, trocaram um beijo e um carinho às 2h da manhã em um restaurante de Dubai, nos Emirados Árabes. Foi o suficiente para que eles fossem retidos no país e julgados por ato sexual em público.

0,,39185462-FMM,00

O casal de ingleses permanece em território árabe e será julgado em até dois meses. Num primeiro momento, eles alegaram que o beijo foi no rosto, mas o juiz não aceitou a explicação. Agora, podem pegar até 30 dias de prisão. As leis do país são bastante severas quanto à troca de carinho em público.

Najafi e Charlotte ficarão em Dubai até que uma nova audiência seja convocada para decisão final do caso. "Espero ir para a cadeia, assim cumpro meus 30 dias de prisão e depois retomo a minha vida", desabafou a corretora de imóveis ao tabloide "The Sun".

O jovem casal ainda foi multado em 200 libras por beber álcool.

Fonte: Globo.com

Recapitulando o Evangelho Inclusivo

por Tom Mayan

Para se conhecer profundamente o significado de “Evangelho Inclusivo”, é preciso, antes de tudo, tornar-se um verdadeiro Cristão Inclusivo, à moda antiga. Contudo, há muitas intempéries ao longo do caminho. Uma delas é tornar-se o exemplo vivo de Inclusão, acolhendo a todos os assolados e mostrando a esperança diante da aflição que o mundo traz. Esperança esta que só é possível alcançar através da experiência do encontro com o modelo sublime de Inclusão: Cristo Jesus.

Levar o Evangelho Inclusivo não é fácil devido o fato do ser humano estar dotado de uma natureza pecaminosa, carregando consigo muitas vezes, o famoso pré-conceito e a aversão, ou seja, julgamentos pessoais que se mantém entre o “eu” do Cristão e o dever a ele compelido em ser manso e humilde de coração.

Transpor esta barreira se torna um passo importante para obtenção do Evangelho genuíno de amor. Para tanto, é preciso conhecer e saber utilizar a chave correta para abrir o coração e deixar a luz entrar e, assim, modificar o que jaz um coração de pedra. Um coração de pedra pode simbolizar muitas coisas, dentre elas, a ignorância e a intolerância humana, que pode ser encontrada em muitos que, orgulhosamente, se denominam “Cristãos”, mas que nada mais são que meros religiosos legalistas.

Os que se acham justificados, geralmente se baseiam em Mateus 13:11: “Porque a vós outros é dado conhecer os mistérios do reino dos céus, mas àqueles não lhes é isso concedido”. Dessa maneira, muitos “Cristãos” acreditam estar entre os escolhidos, tornando-se assim, incoerentes ao discurso, pois, são os mesmos que insistentemente tentam mostrar uma “verdade” sobre a homossexualidade aos que – no caso -, não lhes é permitido conhecê-la. Diante disso, apenas perdem seu tempo.

Alcançar a verdadeira compreensão do significado de “Cristianismo” pode ser uma tarefa exaustiva, pois demanda boa vontade e submissão para recapitular diariamente o exemplo de Jesus. Enganam-se os que pensam que, uma vez entendido o evangelho de Cristo, para sempre aprendido está. O Evangelho Inclusivo deve ser encarado como uma santificação diária e constante na vida de nós cristãos.

Nesse contexto, é fácil compreender a reação de pessoas amáveis que, ao tocar em um assunto que lhes causam incômodo - no caso, a Homossexualidade -, dizem coisas cruéis, sem ao menos perceber como estão sendo rudes. Contudo, certas atitudes são inerentes à natureza humana; simplesmente não conseguem enxergar por conta própria.

Entretanto, são reações como essas que disseminam a segregação, como a que por muito tempo tem havido, frente uma cultura cristã milenar. Mas, é diante dessa situação que, provavelmente, Cristo tenha dito: “Eis que vos envio ao mundo como ovelhas em meio de lobos” (Mateus 10:16).

A falta de compreensão e de sentir-se confortável – tão importante aos homossexuais -, torna o processo difícil, longo e doloroso. Muitos homossexuais passam por uma jornada terrível até a própria aceitação, tornando grande parte de suas vidas incompletas psicoemocionalmente. Daí tem-se a importância da sociedade cristã não condicionar as pessoas a pensar a homossexualidade como algo negativo.

Mas, em contraste, muitos “Cristãos”, sem ao menos dizer uma única palavra de condenação, acabam por ferir de maneira mais trágica ainda um homossexual, permanecendo em silêncio diante da condenação social cristã, deixando-o se autopunir, não o ajudando a corrigir as imagens deturpadas formadas em sua mente, e não sendo capaz de ajudá-lo a compreender quem ele (homossexual) é para Deus.

Uma das situações mais solitárias da vida é quando um jovem começa a perceber-se homossexual. Ele não tem idéia alguma da situação que enfrentará, não sabe o que fazer com a situação e, muitas vezes, não tem ao menos um irmão de fé ou pastor com quem possa expressar-se e confiar, sem temer a rejeição ou condenação. Diante disso, ser um adolescente homossexual, na maioria das famílias, significa crescer com muita confusão na mente; é sentir uma extrema contradição de quem ele realmente é; é ter duvida constante em ser amado ou não pelos seus pais e, principalmente, por Deus. Dessa forma, muitos jovens acabam por internalizarem uma inverdade de que nada em sua vida pode fazê-los se sentir íntegros.

Contudo, a partir do momento que um jovem homossexual consegue sobrepor estes vieses, ou seja, as resistências sociais e até mesmo pessoais, ele pode usufruir de um equilíbrio moral completo, conseguindo estar aberto para experienciar verdadeiramente o amor, se permitindo amar a alguém e, dessa maneira, alcançando, pela primeira vez, um sentimento grandioso da presença de Deus em sua vida. Somente assim, o cristão homossexual se torna completo como ser humano e passa a viver de maneira efetiva.

Nesse sentido, torna-se fundamental que todos os “Cristãos” consigam entender esta situação – se é possível que consigam -, tomando consciência de que não devem exigir que homossexuais suprimam sua identidade emocional, e ainda assim, continuem tendo uma vida boa e correta diante de Deus.

É nesse contexto que o Evangelho Inclusivo vem a ser aquele que – sem fazer militância homossexual à Religião –, simplesmente ajuda a muitos que se sentem excluídos do rebanho de Cristo. O Evangelho Inclusivo prega a moralidade no que cerne ser responsável, ter consideração pelo próximo, ser gentil, generoso e bondoso de espírito.

A Inclusão é uma forma re-pensada de rejeitar a tradição Exclusiva e agir ousadamente em prol da pregação do verdadeiro Evangelho de Cristo. Ensina, ainda, que todos enquanto cristãos, possuem dois pontos em comum: o batismo e a obrigação moral aos mandamentos da Lei sob o contexto resumido de Jesus que convida a todos a amar a Deus e ao próximo, reconhecendo o amor humano como um reflexo do amor divino.

Contudo, devemos encarar que os ditos “Cristãos” podem combater ou desafiar essa lógica, resistindo ao apelo Inclusivo, mas a vida de amor incondicional de um verdadeiro cristão é um argumento que não pode ser contradito.

Tom Mayan, 27 anos, Especialista em Ciências da Saúde; É Gay e Cristão, Militante pela Inclusão LGBT no Cristianismo; Escritor sobre Teologia Inclusiva, Fundamentalismo Cristão e Homofobia Religiosa; Colunista do site “Maringay” e autor do livro que retrata a homossexualidade e o Cristianismo chamado “Ser Gay e Cristão é possível!” –

Site do livro: www.sergayecristaoepossivel.com;

Contato: sergayecristaoepossivel@hotmail.com

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...